para já, é só… [actualizado e com ‘brasão abençoado’ incluído]

© pasquim editado pelo sr. serpa
(clicar na imagem para ampliar)

post scriptum pertinente [às 12h56m]:

» no meu entendimento, o teor desta notícia (aqui) talvez fosse uma boa ideia a importar para o nosso Futebol e tendo em linha de conta os motivos nela invocados: a «sustentabilidade económica» e o «investimento em jogadores dos escalões de formação».

» de acordo com o teor desta notícia (aqui), onde uns vêem  um «milagre» eu só consigo vislumbrar a salvação do futebol luso. e a todos os níveis.

Anúncios

dos fundamentalismos e das ilegalidades…

© google | Tomo II
caríssima(o),
escrevo-te completamente endiabrado. explico, começando definitivamente pelo que considero de melhor.
e o melhor, para mim, na edição impressa desta Sexta-feira, do pasquim editado pelo “belenense” do sr. serpa é indiscutivelmente o artigo de opinião t-o-p de Pedro Marques Lopes apenas o jogo deste fim-de-semana, na sua coluna semanal BRASÃO ABENÇOADO. acredita e confia em mim quando (re)afirmo que vale pelo seu todo, ok?
depois… bem, depois é o completo deboche:
desde o arrozado de miguel cardoso pereira no tema do dia, a (in)tentar colocar mais «pressão» no Clássico desta noite, no reino muito distante dos viscondes falidos de Alvaláxia®, mas, bem lá no fundo, a expressar publicamente o seu muito «glorioso» desejo para o desfecho final; passando pelo «fundamentalista» editorial do “intestino” do Delgado, e terminado no muito mauzinho e porventura «ilegal» artigo de opinião do joão (nada) bonzinho.
acredita que valeu um pouco de tudo para impunemente se atentar contra o bom-nome, a reputação e a seriedade do Futebol Clube do Porto em toda a sua direcção e massa adepta , não lhe sendo devidos (pelo menos) o Respeito e as Isenção, Ética e Profissionalismo da profissão que aquelas autênticas bestas ali atrás referidas deveriam ter, mas que nunca tiveram, não têm nem nunca terão.
tanto assim é que as ditas (e sem qualquer ofensa para os asininos) me motivaram a dirigir-lhes um e-mail de contestação, sobretudo às duas últimas e cujo teor partilho contigo um pouco ali mais para a frente, na segunda parte desta posta de pescada®, a partir de um no pare, sigue, sigue ali mais abaixo, logo depois do «gosto» do faceboKas®.

por último e porque ele (o Clássico) está quase a começar, não posso deixar de manifestar o meu mais fervoroso desejo de vencermos o spórtém esta noite. e exprimo-o de forma bem redobrada (pelo menos e no mínimo), depois de ter lido o que esta autêntica cavalgadura proferiu no decurso do dia de ontem:

© pasquim do sr. serpa
(clicar na imagem para ampliar)
ah!, é verdade.
infelizmente e por motivos profissionais, só estarei de regresso ao teu convívio na próxima Segunda-feira, dia 29 de Setembro.
até lá e mais uma vez, (re)afirmo o meu desejo de uma vitória em Alvaláxia, igualmente para podermos comemorar condigna e sorridentemente os 121 anos de existência do nosso clube do coração.
disse!

© pasquim do sr. serpa
(clicar na imagem para ampliar)

«

exmo senhor
intestino” delgado,

o meu nome é Miguel Lima e sou um fervoroso adepto do Futebol Clube do Porto.
caso ainda não esteja recordado da minha pessoa, sou o chato do gajo do blogue Tomo II… exacto!, esse mesmo…

peço desculpa por o incomodar numa tarde de uma Sexta-feira do mês de Setembro, mas ele há coisas que não podem esperar por um Amanhã, sequer por um em breve.
pela presente mensagem, apresento-lhe uma pertinente reclamação, enquanto cliente regular do pasqui… jornal onde o sr. trabalha e amiúde escreve uns considerandos, na sua coluna de opinião cartas na mesa.

esta refere-se ao seu último editorial, sob o título as mil guerras do presidente, publicado na edição da presente Sexta-feira.

não lhe vou recordar o «fundamentalismo» empregue no seu «fundamentalista» post scriptum.
tão pouco lhe irei alertar para o que está consagrado no ponto 5., do art. 63º, do Regulamento de Competições organizadas pela LPFP, (a páginas 39).

o que singelamente e sem «fundamentalismos» lhe pretendo transmitir é tão-somente o meu mais profundo desagrado pela forma desabrida, desenxabida, torpe, vil, canalha e muito pouco Ética, que o sr. amiúde se refere a essa instituição centenária que dá pelo nome de Futebol Clube do Porto, e largas vezes e por inerência, à pessoa do seu grande presidente, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa.

de facto e cada vez mais, o «fundamentalismo» que o sr. apregoa existir no clube da InBicta reside exclusivamente em si. e sabe porquê? porque o sr. e muitos outros como o sr., detestam assistir às vitórias do Futebol Clube do Porto. e, acredite: o Futebol Clube do Porto continuará a vencer. pode não ser já hoje, mas estou certo de que o Futuro continuará a ser pintado em tons de azul-e-branco – e contra todo o seu/vosso «glorioso» «fundamentalismo» futebolístico.

por último, informo-o de que poderia ter cedido à (baixa) tentação de g(l)osar com o seu escatológico apelido, intercalando-o e relacionando-o com o «fundamentalismo» da sua visão acerca da presente reclamação. acontece porém que a Educação que recebi impediu-me de tal…

para finalizar e sem lhe querer retirar muito mais tempo, lanço-lhe uma rápida pergunta à qual, não nego, agradeceria uma resposta da sua parte:

pergunta)

não acha que é legítimo que os adeptos portistas que, tal como eu, compram o pasqui… jornal onde o sr. tão «gloriosamente» escreve e que também assistem às emissões do seu canal de televisão, voltados sobretudo para o público alvo da agremiação de Carnide (vulgo 5lb), considerem que quem trabalha para o pasquim da Travessa da Queimada não são mais do que uns jornalistas vendidos aos clubes da Segunda Circular, sendo seus autênticos pés-de-microfone e que não passam de uns verdadeiros invertebrados, cujo Rigor, Ética e Deontologia a que estão obrigados, são diária, quotidia e «gloriosamente» ignorados?
(e por muito que o vosso Editor Chefe, joão (nada) bonzinho tenha escrito que «os jornalistas desta casa não estão (e nunca estarão) ao serviço de empresários, dirigentes ou directores de clubes; tentam alguns dirigentes, directores de clube ou empresários, servir-se dos jornalistas? têm os dias contados» – esquecendo-se, por exemplo, do que afirmou o ex-futebolista Fernando Mendes, no seu livro Jogo Sujo, e que, à data, ainda não foi desmentido nas instâncias próprias, ie, nos tribunais.)


há-de convir que é uma pergunta pertinente e que se foca sobretudo no devido contraditório de matérias que o vosso pasqui… jornal edita diariamente e que têm sido abordadas de uma forma (digamos assim) muito enviesada, ignorando aquelas premissas deontológicas, referidas anteriormente. 
também terá que concordar que a sua resposta a estas questões permitirão elucidar os leitores afectos ao Futebol Clube do Porto no que concerne ao tratamento jornalístico dado ao quotidiano do clube e que esse pasqui… jornal insiste que «não é diferenciado».


despeço-me, apresentando os meus melhores cumprimentos e reescrevendo a minha ideia final, patente em mensagens anteriores, por ser algo em que acredito:

« 

sei que “isto” mais não é do que um desabafo de alguém que gosta de Futebol e é indefectível portista. se comparado, com a situação económica do nosso País, por exemplo, este assunto «são ‘peaners»…  

mas, também compreenderá que não poderia ficar calado com (mais) esta incongruência do foro do tratamento jornalístico que o pasqui… jornal em causa brinda os leitores afectos ao FC Porto diariamente… 

»


somos Porto!, car@go!  
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»! 


o administrador do Tomo II
Miguel Lima

»

© pasquim do sr. serpa
(clicar na imagem para ampliar)

«

exmo senhor
joão (nada) bonzinho,

o meu nome é Miguel Lima e sou um fervoroso adepto do Futebol Clube do Porto.
caso ainda não esteja recordado da minha pessoa, sou o chato do gajo do blogue Tomo II… exacto!, esse mesmo…

peço desculpa por o incomodar numa tarde de uma Sexta-feira do mês de Setembro, mas ele há coisas que não podem esperar por um Amanhã, sequer por um em breve.
pela presente mensagem, apresento-lhe uma pertinente reclamação, enquanto cliente regular do pasqui… jornal onde o sr. trabalha e amiúde escreve uns considerandos, na sua coluna de opinião fora de jogo.

esta refere-se à sua última crónica, sob o título meias-tintas, publicado na edição da presente sexta-feira, mormente na seguinte passagem:

«

[…] outra decisão não seria de esperar, uma vez que as escutas foram consideradas ilegais [pelo Tribunal Administrativo de Lisboa, no início do corrente ano civil].
mas, ilegais ou não, o Povo pôde ouvi-las. e isso infelizmente para os visados, não há nenhum tribunal que as possa apagar.

»


dando de barato o que subjaz da sua expressão «ilegais ou não» (efeito do tinto?, porquanto o sr. se arvora sobrepor à decisão de um tribunal – um órgão soberano num estado de Direito como o nosso), e sem mais «meias-tintas» e porque não gosto de perder o meu precioso tempo com troca-tintas como o sr., pergunto-lhe se:

1)

conhece aquela outra escuta, onde despudorada e descaradamente se escolhem árbitros de futebol, e que curiosamente não envolve nenhum dos visados indirectamente por si no seu texto, e que (também) reza assim:

«Ó major, eu não quero nem me tenho chateado com isto, porque eu estou a fazer isto por outro lado»?


2)

saberá o motivo pelo qual os processos Apito Final e Apito Dourado terminam a sua jurisdição territorial no distrito de Leiria?


para finalizar e sem lhe querer retirar muito mais tempo, lanço-lhe uma rápida pergunta à qual, não nego, agradeceria uma resposta da sua parte:

pergunta)

não acha que é legítimo que os adeptos portistas que, tal como eu, compram o pasqui… jornal onde o sr. tão «gloriosamente» escreve e que também assistem às emissões do seu canal de televisão, voltados sobretudo para o público alvo da agremiação de Carnide (vulgo 5lb), considerem que quem trabalha para o pasquim da Travessa da Queimada não são mais do que uns jornalistas vendidos aos clubes da Segunda Circular, sendo seus autênticos pés-de-microfone e que não passam de uns verdadeiros invertebrados, cujo Rigor, Ética e Deontologia a que estão obrigados, são diária, quotidia e «gloriosamente» ignorados?
(e por muito que o sr. tenha escrito que «os jornalistas desta casa não estão (e nunca estarão) ao serviço de empresários, dirigentes ou directores de clubes; tentam alguns dirigentes, directores de clube ou empresários, servir-se dos jornalistas? têm os dias contados» – esquecendo-se, por exemplo, do que afirmou o ex-futebolista Fernando Mendes, no seu livro Jogo Sujo, e que, à data, ainda não foi desmentido nas instâncias próprias, ie, nos tribunais.)


há-de convir que é uma pergunta pertinente e que se foca sobretudo no devido contraditório de matérias que o vosso pasqui… jornal edita diariamente e que têm sido abordadas de uma forma (digamos assim) muito enviesada, ignorando aquelas premissas deontológicas, referidas anteriormente. 
também terá que concordar que a sua resposta a estas questões permitirão elucidar os leitores afectos ao Futebol Clube do Porto no que concerne ao tratamento jornalístico dado ao quotidiano do clube e que esse pasqui… jornal insiste que «não é diferenciado».


despeço-me, apresentando os meus melhores cumprimentos e reescrevendo a minha ideia final, patente em mensagens anteriores, por ser algo em que acredito:

« 

sei que “isto” mais não é do que um desabafo de alguém que gosta de Futebol e é indefectível portista. se comparado, com a situação económica do nosso País, por exemplo, este assunto «são ‘peaners»…  

mas, também compreenderá que não poderia ficar calado com (mais) esta incongruência do foro do tratamento jornalístico que o pasqui… jornal em causa brinda os leitores afectos ao FC Porto diariamente… 

»


somos Porto!, car@go!  
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»! 


o administrador do Tomo II
Miguel Lima

»

e tal

e tal

disse!

para os ‘pimpims’ desta vida (e não só)… [incluso ‘brasão abençoado’]

© google (aqui)

«


[]

OK!, somos assim: animais críticos e ávidos de polémica. E, sem dúvida que, mesmo em iguais condições, o insucesso terá sempre de ser mais esmiuçado do que o sucesso. 
As coisas correram mal? Correram. Ou melhor, não… correram. Fisicamente Portugal foi uma lástima, uma das piores equipas da prova. Mas não ter em conta os imprevistos – expulsão de Pepe e lesão de Coentrão à cabeça -, que muitas vezes ajudam a explicar o inexplicável, roça a injustiça.
Há que pensar antes de atacar, conhecer antes de destruir, perceber a realidade antes de nos pormos em bicos de pés, gritando doutos conhecimentos em clima, treino e preparação física, bem mais alto do que os outros, convencidos de que nos ouvirão. E nunca esquecer que, no Futebol, expulsões, lesões e penalties podem mesmo ser suficientes para deitar por terra o trabalho de meses.

»

caríssima(o),

as palavras acima pertencem ao nosso amiguinho joão pimpim, no seu escritozinho mundial surreal. e, tal como o caríssimo dragão Vila Pouca, também eu não me esqueço do que se afirmou, escreveu e comentou, a propósito da nossa campanha na África do Sul, em 2010, mas sobretudo do muito que se linchou em relação ao que (não) se fez no mundial organizado pela Coreia do Sul e pelo Japão, em 2002
de facto, e por muito que doa a quem tanto critica os críticos da equipa (que decididamente não é) de todos nós®, ajuda muito ter boa Imprensa para salvaguardar as costas do seleccionador nacional… foi assim com o «burro» do socolari, está a ser assim com o Paulo Bento; não foi (nada) assim com Carlos Queiroz (em 2010), muito menos com António Oliveira (em 2002)… e não há como o negar! basta atentar no que escreveu, no dia de ontem e depois de ter desancado (forte e feio…) no «coro maldizente» da massa crítica, a 19 de Junho, o (também) nosso amiguinho fernando guerra:

© pasquim do sr. serpa

(clicar na imagem para ampliar)

mudemos de ampulheta, então, que há mais pimpins e mais guerrinhas nesta vida (e no pasquim da Travessa da Queimada também)

(clicar na imagem para ampliar)

«

[]

Trocar 5lb por Carnide parece evidenciar uma forma pseudo-elitista de tentar menorizar o 5lb pela associação a uma linda freguesia da capital. Por outras palavras, pretende-se dizer que o Benfica é… tão-só o Carnide! Nada que deslustre o clube, mas que tem implícita uma visão preconceituosa sobre uma freguesia lisboeta onde, aliás, também vivem calimeros e portistas

»

o excerto acima refere-se a um textinho da autoria de bagão “papa hóstias” félix, o qual foi publicado na edição impressa de ontem, Quinta-feira, dia 03 de Julho, no pasquim da Travessa da Queimada (aqui).
o artigo em causa vale pelo seu todo, mas salientei a parte em destaque pois que não me recordo de uma defesa idêntica, por parte daquele orgulhoso lampião, nado e criado em Ílhavo, quando, em 2004, todas as freguesias da cidade do Porto, onde também habitam alguns calimeros e outros tantos lampiões, foram insultadas por José Mourinho numa «mafiosa» alusão «gloriosamente» copiada pelo abjecto do Vasconcelos, anos mais tarde…

daquela edição impressa de ontem, no pasquim editado pelo sr. serpa, também quero dar os meus sinceros parabéns! aos sabujinhos dos paulinhos pinto e alves.
o primeiro, paulo pinto, por, ainda mal começada a pré-época, recordar os leitores do pasquim do seguinte:

© pasquim do sr. serpa

(clicar na imagem para ampliar)

o segundo, paulo alves, por não esconder a seguinte jactância:


© pasquim do sr. serpa

(clicar na imagem para ampliar)


«um ano horrível».
«falhanço redondo de uma época».
«quebrar a hegemonia conquistada nas últimas décadas».
«o campeão voltou».
«missão: bicampeonato».

eis o que teremos que gramar, no pasquim do sr. serpa, ao longo de toda a época que se iniciou ontem, incluindo o seguinte tipo de piadinhas:

© pasquim do sr. serpa | Luís Afonso
(clicar na imagem para ampliar)

é claro que há excepções a toda esta regra lampiónica.
podê-las-ás descobrir na edição impressa desta Sexta-feira, dia 04 de Julho, no pasquim da Travessa da Queimada (aqui).

disse!

dessas múltiplas leituras variadas…

© pasquim do sr. serpa | Ricardo Galvão
(clicar na imagem para ampliar)

«

Entrámos no Olímpico de Sevilha sem Hélder Postiga, que estava castigado – ele que estava em grande forma e tinha sido muito importante na meia-final e sem o seu possível substituto, Jankauskas, por se encontrar lesionado; Costinha, o pêndulo e o equilíbrio da equipa no meio-campo, jogador fundamental nas bolas paradas (defensivas e ofensivas), jogou preso por arames e teve de sair aos 9 minutos de jogo, entrando Ricardo Costa para lateral-direito e passando Paulo Ferreira para o meio-campo; aos 71′, portanto ainda com 20+30 minutos para disputar, Jorge Costa estoirou e teve de sair, para dar lugar a Pedro Emanuel (sem muito ritmo de jogo). 
Mesmo com todos os contratempos já referidos, ganhámos essa final, fizemos história e conquistámos a primeira Taça UEFA para o futebol português. Nessa época, também ganhámos o campeonato e a Taça de Portugal…

[…]

Para quê tantas justificações para explicar o inexplicável, da derrota frente ao Sevilla? Afinal, não tinham aprendido a lição da época anterior? Os processos não estavam tão bem assimilados que qualquer Manel cumpriria e bem!, a sua função? Não andaram a badalar o super-favoritismo de forma arrogante? Agora aguentem e deixem-se de desculpas… 
Chega de tanto tempo de antena à procura de uma palavra que ninguém tem a coragem de dizer: incompetência! É a crónica falta de estaleca para ganhar finais ao mais alto nível. É a apologia da mediocridade, o Portugal dos pequeninos, dos calimeros, da falta de sorte, da triste sina…

»

autor: caríssimo dragão Vila Pouca

fonte: dragão até à morte (2014-05-16)

ps: os negritos, os sublinhados, os itálicos e os destaques, são da minha inteira responsabilidade.

(clicar na imagem para ampliar)

«

[…] parece evidente que a diferença de sucesso internacional dos dois rivais não se explica pelas arbitragens, maldições e outras tretas do género. Se a imprensa lisboeta fosse mais séria e isenta, se não se preocupasse tanto em escamotear aos olhos do público todos estes factos incómodos e que põem em causa a imagem de grandeza fictícia que tanto se esforçam por manter, talvez o 5lb não estivesse agora a lamentar mais uma final perdida. Mas isto é apenas a minha opinião.

»

autor: caríssimo Rodrigo Guedes Medeiros

fonte: o FC Porto é o maior, car@go! (2014-05-16)

ps: os negritos, os sublinhados, os itálicos e os destaques, são da minha inteira responsabilidade.


© google

(clicar na imagem para ampliar)

«

@ Rodrigo

«outras leituras se poderiam fazer destes dados»

eis uma outra leitura igualmente interessante, tendo por base o zerozero“:

FC Porto

» em 1986/1987, defrontou o FC Bayern München que, nessa época, sagrou-se tricampeão alemão…
» em 2002/2003, defrontou o Celtic FC que, nessa época, terminou em segundo na Liga Escocesa e, em 2001/2002, fora… campeão
» em 2003/2004, defrontou o AS Monaco FC que, nessa época, terminou em terceiro na Liga Francesa e, em 2002/2003, terminara em segundo
» em 2010/2011, defrontou o SC Braga que, nessa época, eliminou o 5lb nas meias-finais da Liga Europa e terminou em quarto na Liga Portuguesa e, em 2002/2003, terminara em segundo (atrás do 5lb, com quem disputou o campeonato até à última jornada)

5lb

» em 1987/1988, defrontou o PSV Eindhoven que, nessa época, sagrou-se tricampeão holandês…
» em 1989/1990, defrontou o AC Milan que, nessa época, terminou esegundo na Liga Italiana e, em 1988/1989, fora… terceiro
» em 2012/2013, defrontou o Chelsea FC que, nessa época, terminou em terceiro na Liga Inglesa e, em 2011/2012, terminara em… sexto
» em 2013/2014, defrontou o Sevilla FC que, nesta época, é o actual quinto classificado da Liga Espanhola e, em 2012/2013, terminara em… nono

conclusão:

o FC Porto nunca defrontou, de há trinta anos a esta data, em finais de competições europeias, um clube abaixo do segundo lugar na época imediatamente anterior e que, na época em causa, terminasse o seu campeonato abaixo do quarto lugar… 


abr@ço
Miguel | Tomo II

»

fonte: o FC Porto é o maior, car@go! (2014-05-16)

ps: os negritos, os sublinhados, os itálicos e os destaques, são da minha inteira responsabilidade.

caríssima(o),

para quem tiver interesse e sobre o que se foi publicando na tal imprensa lisboeta «séria e isenta», mormente em algumas edições impressas do pasquim da Travessa da Queimada, seguem-se mais alguns considerandos, já a seguir [pleonasmo propositado].
portanto, tal acontecerá na segunda parte desta nada telegráfica posta de pescada“®logo depois do «gosto» do faceboKas®, a partir de um no pare, sigue, sigue ali mais abaixo.

disse!

principio pela edição impressa desta Sexta-feira, dia 16 de Maio (aqui).
nela, para lá da última prosa de Pedro Marques Lopes, no seu BRASÃO ABENÇOADO, sob o título Cândido Costa e o futuro (aqui), recomendo a leitura atenta das mais recentes declarações do nosso delfim do hóquei patinado, Hélder Nunes.
já sobre a sugestão do (em princípio) nosso novo patrocinador do manto sagrado, do nosso clube do coração, numa notícia aventada por pascoal sousa e nuno vieira, mais do que a minha incredulidade inicial (com alguma repulsa à mistura), fica registada a minha aderência à ideia proposta, sendo este o seu resultado final:
© google | somosporto.org
(clicar na imagem para ampliar)

também ainda sobre a dita notícia, fiquei a conhecer mais um pedaço da história do nosso emblema. eu sempre considerei que só tínhamos tido dois: o original (que, afinal, vai-se a ver e já é o segundo) e o actual, criado por Simplício. pelos vistos, houve um outro, até 1910, com a estilização da sigla do clube… não encontrei qualquer referência oficial ao dito; mas, neste post do caríssimo dragão Azul Forte, no bibó FC Porto, car@go!, na imagem da equipa de Abril de 1911, parece que o dito é visível/perceptível… aguardemos.
© google | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)

já sobre a edição impressa de 15 de Maio (aqui), esta foi inteiramente dedicada à Sevilhana que se escutou na final de Turim, com o “nosso” Beto a ser o seu maior “solista”. são dezoito-páginas-dezoito (!!!) a carpir mágoas…
daquelas, destaco os “melões” especiais de: bagão “papa hóstias” felix (em depois…), miguel cardoso pereira (em Beto, mais esperto, saiu da linha e ninguém viu), fernando guerra (em outra final perdida…), leonor pinhão (em sacana do homem)…
a estes «gloriosos» melões, acrescento os da edição impressa desta Sexta-feira, dia 16 de Maio (aqui): sílvio “o senador pátreta” cervan (em a uma vitória de fazer história), excremento” do Delgado (em o que Guttman nunca terá dito…) e joão (nada) bonzinho (em o maior dos desafios).

© google
da edição impressa de 13 de Maio (aqui), e porque foi Terça-feira, para lá da NORTADA de Miguel Sousa Tavares final de ciclo, não! fim de equipa, ara quem tiver interesse reproduzo o resumo da temporada futebolística finda (aqui).
também recomendo a leitura de um artigo de Hugo Sousa, em OJOGO: Paulo Bento incoerente: Passado e Futuro sem… Presente.

filhos, enteados e deputados… [actualizado com ‘Brasão Abençoado’ e outras estórias]

© google | Tomo II

«

A promiscuidade não pode ser confundida com o dever da Assembleia da República e do Governo, de actuarem numa série de deveres, que passou [sic] para uma série de entidades relacionados com o Desporto.

Promiscuidade não é fazer jantares e dar a cara; isso é algo sadio. Quem faz essa confusão, que eu sei que fazem, não são pessoas normais. A promiscuidade são outras coisas que todos queremos ver abolidas… 

»

portanto, a ver se eu posso ser uma «pessoa normal» aos olhos do burro do Carvalho:
» o actual presidente do spórtém, o burro do Carvalho, foi jantar, ontem, Quinta-feira, na Assembleia da República, com várias dezenas de deputados – «mais de trinta» – e de funcionários parlamentares, adeptos da agremiação do Lumiar, para assinalar o fim de uma época futebolística em que, mais uma vez, não ganharam qualquer título – a não ser que o segundo lugar no campeonato, que lhes conferiu acesso directo para a Champions, já seja equivalente a um troféu oficial…
» no jantar-convívio em causa, que teve lugar no edifício novo do Parlamento, estando presentes deputados de todos os grupos parlamentares, o actual presidente do spórtém, o burro do Carvalho, proferiu as frases acima, as quais se registam, não só para memória futura, mas também para a sua posteridade
» em anos anteriores, apenas os deputados do Futebol Clube do Porto e do 5lb, realizaram anualmente encontros com os presidentes dos respectivos clubes, sendo que o 5lbFutebol Clube do PortospórtémAcadémica e CF Os Belenenses, são os clubes desportivos com mais adeptos entre os 230 deputados da Assembleia da República.
legitimamente e tendo em conta sarrabulhos passados, vou esperar (sentado) por artigos de opinião e/ou declarações acaloradas e/ou intervenções televisivas “ao mais ailto nível”, sobre a presença daquele “ilustre” ser, na Casa da Democracia Nacional, para jantar à pala dos meus impostos.

se estou a ser demagogo? 

actualização às 13h22m:

parece que o mauzinho do joão (nada) bonzinho resolveu ignorar-me e todos os outros portistas que lêem o pasquim da Travessa da Queimada. portanto, a minha pertinente chamada de atenção da semana passada, ao jornalista em causa, à data, permanece sem resposta – o que muito revela da dignidade profissional de quem de direito…

assim sendo, na edição impressa desta Sexta-feira (aqui) e para lá do (também) mauzinho artigo do joão (nada) bonzinho, a propósito da contratação de Lopetegui, em aqui há gato!, e inclusive da forma como o pasquim da Travessa da Queimada noticiou a ida do burro do Carvalho, à Assembleia da República, para jantar às minhas custas, recomendo a leitura do artigo de Pedro Marques Lopes, na sua rubrica BRASÃO ABENÇOADO, é ganhar, Julen, é ganhar! (aqui).

disse!