Basileia, meu amor (*)…

© filhos do dragão | Tomo II
caríssima(o),

como já o referi aqui, em Dezembro de 2013, nasci verdadeiramente para este Amor incondicional pelo FC Porto, a resposta surge pronta: 16 de Maio de 1984, próximo das 22h. o nosso clube do coração acabara de perder, para mim de forma inglória, a final da (agora extinta) Taça dos Vencedores das Taças, ante a toda-poderosa Juventus (clube que, na minha opinião, em Itália, tem o mesmo significado que o 5lb em Portugal).
como a minha mãe não se cansa de o repetir (e de mo relembrar, com saudade) foi uma noite de baba e ranho, tinha eu uns estóicos nove aninhos – era um homenzinho crescido e já comia à mesa (e, por vezes, algumas lamparinas. e algumas lagostas, também. amiúde, umas lostras. já bufardos era só quando me portava mal).
mas, por cada lágrima vertida naquela noite e não terei sido o único a fazê-lo; haverá homens feitos que, naquela altura, também terão regressado à sua infância , o nosso clube de Sempre (re)compensou-nos com «um livro de honra, de vitórias sem igual». e felizmente que já têm sido muitas. adiante.

para memória futura e para quem tiver interesse e/ou quiser reviver estórias desse nosso Passado (recente), deixo aqui e aqui dois interessantes artigos sobre Basileia/1984.

já para o encontro de logo à noite, numa partida que terá (pelo menos) 180 minutos, comungo das expectativas cautelosas dos caríssimos Jorge (Porta19) e dragão Vila Pouca.
mais do que assomos de uma sobranceria bacoca, este FC Basel deverá impor-nos muito respeito e como muito bem referiu Julen Lopetegui, na antevisão desta primeira parte. aliás, tenho para mim que a legítima ambição de Paulo Sousa é idêntica à do nosso treinador, e vice-versa no sentido em que «ambas as duas» equipas, como não são consideradas candidatas à vitória final, pretendem fazer um brilharete na competição em disputa, visando atingir a fase seguinte e nada mais do que esse objectivo (um pouco como o «jogo-a-jogo»).
acima de tudo, o que pretendo é que a equipa principal de futebol profissional do FC Porto tenha um comportamento, dentro de campo, em tudo idêntico ao dos miúdos dos sub-19 (escalão júnior), ontem, em Madrid, para a UEFA Youth League.
foram verdadeiros graúdos e estão de parabéns! pelo feito almejado.

entretanto e num outro diapasão, a edição impressa desta Quarta-feira, do pasquim da Travessa da Queimada traz dois artigozinhos que não posso deixar de bitaitar, sequer passar em claro o que neles é insinuado.

o primeiro, da autoria de pedro soares (aqui), aborda as 20 principais guerrinhas do burro do Carvalho desde que chegou ao poder da agremiação desse reino muito distante dos viscondes falidos (e impolutos) de Alvaláxia®. note-se que não referi (propositadamente) presidência, pois que este é um cargo que pressupõe, entre outros, sentido de Estado e de responsabilidade faculdades que o indivíduo clara e inequivocamente não possui, comportando-se como o pior dos cacifeiros calimeros, quando deveria, acima de tudo, ser o exemplo primeiro da agremiação do Lumiar. aliás, ele é o exemplo primeiro e mor do actual spórtém, mas pelos piores motivos, como o dito artigo evidencia…
assim sendo, considero-o muito interessante pois que dá para perceber a autêntica besta que é o fulano em causa e no sentido estrito daquele termo (e sem ofensa para os asininos).


© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

a mesma imagem com maior resolução aqui ]

o segundo (aqui) é da autoria de um indivíduo cujo apelido do seu nome remete imediatamente para água choca, tanta é a merd@ que vomita (também) pela sua boca imunda, porca, javarda, nojenta. aliás, tenho para mim que ele é o ignóbil Dâmaso Salcede do pasquim da Travessa da Queimada e conforme se comprova na imagem acima.
no artigo em causa (aqui), hoje voltou a manifestar publicamente o calhorda que é sempre que versa sobre o FC Porto.
a única forma simpática que encontrei para obstar a essa minha vontade inata (por que imediata) de o enviar (mesmo que mentalmente) para três ou quatro sítios que eu cá sei e onde, creio, ele se chafurdaria com um imenso à-vontade, foi de socorrer-me de uma citação do dumbo de Carnide, que eduardo ‘cutty sark‘ bOrroso trouxe à liça no dia de hoje.

ah! e, mais um dia que passa e que a direcção da SAD/Clube permanece num incompreensível silêncio perante a gravidade destes factos. e que o abjecto jornalixo tuga teima em encobrir, em dissimular, em não revelar, numa execrável violação dos deveres deontológicos a que a profissão obriga…

(*) título inspirado neste clássico dos lusos Da Vinci.
disse!

nesta Quarta, à espera de Sexta-feira…

© google
caríssima(o),
nada se passa. está tudo uma gand@ pasmaceira. um tédio de morte. um aborrecimento que, de tão enfadonho, já mete fastio (e não!, não me refiro à marca de água)… 
e até as piadolas têm uma sensação vaga de um entojo desprazer, pois que toda a animação reina pela Segunda Circular
partantos, a modos que, neste entretanto, enquanto não chega Sexta-feira e dessas notícias feitas de verbos de encher, recomendo a leitura desta aqui, a propósito do actual panorama dos emprestados do FC Porto  com um excelente complemento informativo aqui.
nela, consta um quadro bastante interessante (aqui), o qual se reproduz abaixo sendo que pode ser visualizado com maior resolução aqui , com um acrescento da minha responsabilidade:
(clicar na imagem para ampliar)
é tão-somente a minha opinião…
reconheço que haverá outras, igualmente válidas e que me merecem todo o respeito e consideração – como, por exemplo, a tua. estás à Bontade para utilizar a caixa de comentários para a(s) explanar(es).
noutro panorama, também recomendo a leitura (atenta) destrouta aqui, publicada na edição impressa, desta Quarta-feira, do pasquim da Travessa da Queimada, e na qual estão presentes algumas estórias (por certo) intemporais. como esta aqui. e esta aqui. e esta aqui (com cântico particular aqui). e esta aqui. e, claro!, esta aqui.
disse!

mais um (‘penalty’, jogo lúgubre e ‘manifesto’ de boas intenções)… [actualizado]

(clicar na imagem para ampliar)
caríssima(o),

1) do ‘penalty

ontem, na minha análise (em jeito de not@s soltas) ao encontro em Moreira de Cónegos, escrevi que:

«xistrema estava (mais do que) preparadíssimo para fazer estragos, esta noite  e não me refiro só ao lance da grande penalidade sonegada ao FC Porto, por falta clara de Marafona sobre Maicon, mas sobretudo por esse lance.»
as imagens abaixo confirmam o óbvio. e o aquela que foi só mais uma sonegação, esta época, numa contabilidade sem fim e à qual já perdi a conta:
© pasquim do ‘Quim Oliveirinha
(clicar na imagem para ampliar)
[ a mesma imagem mas com maior resolução aqui ]
© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa
(clicar na imagem para ampliar)
[ a mesmíssima imagem mas com maior resolução aqui ]

2) do jogo lúgubre

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa | Ricardo Galvão
(clicar na imagem para ampliar)
a propósito do emocionante derby da Segunda Circular, o que se me apraz dissertar é… rigorosamente nada, na exacta proporção do futebol que (não) foi praticado no wc xxi, nesse reino muito distante dos viscondes falidos (e impolutos) de Alvaláxia®, como se confirma na imagem que se segue:

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesmíssima imagem mas com maior resolução aqui ]
mesmo assim, gostei bastante de ver mais um “bailinho” dos de Carnide, no final do encontro. mais do que perceber que somos mesmo diferentes, pois que nós nunca ficaríamos muito felizes com um empate frente aos calimeros (!!!), mais uma vez (tres)passaram a ideia de que não aprenderam nada desde há dois anos atrás…
ah! e, de facto, o «pragmatismo» vai mesmo imperar até ao final da época e de forma «gloriosa»; ou seja: ficou demonstrado que o 5lb, nos jogos a doer e sobretudo fora do antro de Carnide, adoptará uma táctica em tudo idêntica àquelas equipas vulgares e que se inspiram nos autocarros de três a quatro andares, com um contentor TIR à sua frente…
quem afirmar o contrário estará a mentir com os dentes todos que possui, mesmo que seja «catedrático».

3) do manifesto de boas intenções

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesmíssima imagem mas com maior resolução aqui ]
o mesmo pasquim que ilude os tolos que «gloriosamente» o consomem, na (diminuta, quase ínfima) parte que dedica ao quotidiano do nosso clube de Sempre, destaca o que se lê acima, numa entrevista concedida por JacKson ao periódico colombiano el espectador(aqui).

da dita, destaco a parte que se segue:

(clicar na imagem para ampliar)
[ a mesmíssima imagem mas com maior resolução aqui ]
não pretendo ser advogado do jogador colombiano, mas:

(i) é do senso comum que, após a renovação e/ou renegociação contratual com Jackson, esta será indiscutível e indubitavelmente a última época do colombiano no FC Porto;

(ii) a pergunta surgiu pronta, por parte do jornalista colombiano, inserida no contexto da mesma.
mas também será correcto afirmar-se que a resposta do jogador (ainda) ao serviço do Clube ressalvou, de igual forma, o foco da sua actual concentração.

(iii) é certo que nuno vieira, o porquinho de brega, tem que curar a ressaca dos efusivos festejos da agremiação da qual é (bem mais do que mero) simpatizante, após um empate em casa do spórtém (!!!). assim como é certo que, como pé-de-microfone que é, tem que obedecer às regras que vêm de cima. assim como é igualmente certo que após os hipotéticos nove pontos se terem esfumado em tão-somente quatro, tudo terá que ser feito para desestabilizar o FC Porto, «a bem da nação».

(iv) apesar de tudo, conviria que o jogador colombiano se concentrasse efectiva e comprovadamente naquilo em que ainda é principescamente remunerado pela SAD portista ie, fazer golos  e deixasse de alimentar aquele tipo de novelas… mexicanas. just in case

disse!

de uma (re)análise ao nosso plantel: a minha…

(clicar na imagem para ampliar)

«

Para lá de todas as vitórias; de todos os títulos conquistados; de todas as taças, em todas as modalidades; de todos os triunfos obtidos  quando nos pedem para nomear a vitória mais saborosa, é sem dificuldade que elegemos uma à qual todas as outras se subordinam: o imenso orgulho de se ser portista.

»

autor: Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa

caríssima(o),

aquela é uma citação presidencial que amiúde está sempre presente quando pretendo tecer considerandos sobre balanços afins, mormente quando estes envolvem o quotidiano azul-e-branco e a Realidade do nosso Amor comum.

porque, «para lá de todas as vitórias», que felizmente e sem pretensiosismos bacocos e/ou falsas modéstias, no nosso caso até são algumas, o orgulho em se ser Portista sobrepõe-se às ditas excepto para alguma (porventura muito orgulhosa) massa adepta assoBiativa…
pois que afirmar, à viva voz e sem qualquer medo de receios temerários, sou do FC Porto, car@go!, para mim, pressupõe também e sobretudo, apoiar incondicionalmente o nosso Clube de Sempre (e para todo o Sempre!) em todas as ocasiões. todas! e, claro!, de uma forma pró-activa e pró-positiva.

e se este é o meu estado de espírito enquanto Adepto, dos profissionais que envergam o nosso manto sagrado, com o nosso brasão abençoado ao peito, o mínimo que espero, em cada jogo, é o seu máximo respeito pela nossa cor, pelo nosso emblema, pelo nosso brasão abençoado, pelo nosso manto sagrado e por toda a História que eles acarretam desde 1893 até ao Presente. e independentemente da sua nacionalidade e/ou naturalidade e/ou preferência clubística desde o berço. e que todos, mas todos os atletas do clube, independentemente da modalidade que representam, deveriam ser obrigados a conhecer desde o primeiro dia em que chegam ao universo do Futebol Clube do Porto o qual deveria ter como ponto de paragem obrigatório o nosso Museu.

aqui chegados, pela presente posta de pescada®, pretendo dar-te conhecimento da minha análise ao que me é permitido vislumbrar sobre a equipa principal de futebol, do nosso clube do coração.
mais te informo que a dita é um pouco extensa. bem sei que poderia fazê-la de outra forma, sub-dividindo-a, por exemplo, por sectores; mas, mais do que enganar-me a mim próprio, estaria a desvirtuar a imagem de marca deste espaço de discussão pública: os testament… os textos um tanto ou quanto extensos (por que longos).

assim sendo e mais uma vez, quando tal se verifica, deixo-te a sugestão de te fazeres acompanhar por um bom de um chocolate quente e um pão com tulicreme®, para digerires melhor o que por aí vem… bem sei que poderia sugerir uma bela de uma ‘kuka, bem fresquinha, com um excelente prato de tremoços… mas, acho que já chega de tanto frio; o que necessitamos é de muito calor

(clicar na imagem para ampliar)
entretanto não escondo que:

» em toda a minha análise subjaz a ideia que a imagem acima pretende transmitir;

» essa análise tem presente esta notícia datada de Abril de 2014 (aqui) – anterior à chegada de Lopetegui, portanto;

» a análise em causa também remete para a defesa deste meu exercício especulativo aqui, igualmente de Abril de 2014.

disse!

guarda-redes

© Google

definitivamente, uma posição onde estou de acordo que «as redes não necessitam de mais ‘peixe». é que aos nomes abaixo não nos podemos esquecer, entre outros, de Bolat, Kadu, Caio, Andorinha e Gudiño. e este último é, de facto, um portento.

Helton 

em Julho de 2014, (precipitadamente) antecipei o seu “fim desportivo”, induzido em erro por uma (ainda hoje) enigmática mensagem no seu instagram oficial.
a soberba exibição em Braga, há duas semanas, comprovou, não só que velhos são os trapos, como também que ainda está aí para as curvas. e que a sua veterania, mais do que o seu portismo (que o tem!), é e será muito importante neste jovem plantel recheado de muita juventude.
também acredito que a sua recuperação veio complicar um pouco os planos de Julen Lopetegui para a definição da titularidade desta posição específica e tão importante no FC Porto onde se pode estar sossegadito em 89 minutos de uma partida, mas ter que corresponder com uma preciosa defesa no minuto em falta, com a pressão suplementar de não se poder falhar.

Fabiano 

pegando no que foi exposto no último parágrafo sobre Helton, eu não me esqueço de Nápoles. e é desse Fabiano que o FC Porto precisa. tem imensa qualidade entre postes, mas claudica nos cruzamentos. e no jogo de pés. e nalgumas bolas rasteiras, junto ao poste.
e, lá está!, aqui não pode claudicar, não pode falhar, pois não há tempo. e tem Helton recuperado, a morder-lhe os calcanhares para regressar à titularidade…
acredito que Lopetegui não será cão e lhe retire do actual posto na hierarquia; mas a ameaça existe. e é bem real. ele convive com ela todos os dias, no Olival…

Andrés Fernandez e Ricardo

um desperdício de dinheiro, no meu entendimento pois que há salários para serem pagos mensalmente.
com tantos e tão bons jovens promissores nos escalões de formação e na equipa B, e ávidos de minutos ao mais alto níBel de competição, considero que não haveria esta necessidade de se esbanjar guito necessário para o desempenho da função de terceiro guarda-redes do plantel  o qual normalmente só brilha em jogos para a ex-taça da bjeka® (e, esta época, nem isso)

defesa

© Google

Danilo 

o dorsal que enverga, esta época, assenta-lhe na perfeição. e para mim, na ausência de Helton, deveria ser ele o Capitão da equipa, mesmo com os seus imberbes (por que pueris) 23 anos de idade.
(literalmente) explodiu naquela que já é a sua quarta época na InBicta. coincidentemente (ou talvez não…) coincidiu com a chegada de Lopetegui…
desde o início que teve que aprender a lidar com o anátema do valor da sua transferência, um pouco à semelhança do que Adrián López está a penar. e com o facto de ter que aprender a ser lateral direito quando, no Brasil, era interior/ala direito.
por mim, ficaria até ser velhinho; temo que esse desejo se desfaça já em Junho…

Alex Sandro

esta temporada está a léguas do que prometeu quando chegou ao nosso Clube. aliás, em termos de progressão, esta está proporcionalmente inversa à de Danilo…
esta época, não me recordo de uma partida em que tenha conseguido ir à linha de fundo adversária e feito um cruzamento com conta, peso e medida… e as suas desatenções defensivas também já nos custaram alguns golos (e muitos frissons também)
acredito que vai recuperar, pois que tudo o que aponto é fruto de uma (mais do que) eBidente má forma física. afinal, foi o único lateral esquerdo em três épocas, sendo pau para toda a colher. e como é humano, e não uma máquina…

Ricardo Pereira

Lopetegui acredita que dará um grande lateral direito. eu também, pois recordo-me de José Bosingwa.
o potencial está lá. assim como a Bontade em aprender. e, mais importante, o facto de não amuar com as preferências do treinador, seja ele qual for (na época passada, em Sevilha, até actuou como lateral esquerdo, cumprindo com a função). a próxima época servirá para tirar todas dúvidas. ou para confirmar as certezas que nele (já) se depositam.

José Ángel

é certinho a defender e ataca e/ou sobe no flanco só pela certa. sabe efectuar cruzamentos. necessita de alguma atenção mais nas marcações, sobretudo nos lances de bola parada.
mesmo assim, ainda acredito que o Rafa poderia (e deveria) fazer parte deste plantel…

Martins Indi

o melhor elogio que lhe faço é:
haverá alguém a lamentar a partida de Mangala para Manchester?

aos 22 anos, na primeira época no Clube, é indiscutível e indubitavelmente o patrão da nossa defesa e (literalmente) a sua voz de comando em campo.

Maicon

não sou ingrato e não me esqueço que foi um dos artífices do título de campeão nacional de 2011/2012 – mesmo que, para alguns pasquins, o feito tenha sido em «fora-de-jogo».
mesmo assim, ao fim de sete época, este Maicon continua a ser um grande morcão, não tendo aproveitado para evoluir. então aqueles passes de trinta metros directamente para as bancadas… e  ter que alindar um lance defensivo, junto à nossa grande área, quando o que se pede é que mande a chichinha para o car@**o

Ivan Marcano
«ah! e tal», é espanhol, tem 27 anos e é canhoto… so f*ckin what?!
em meia época já me deu mostras de possuir mais talento do que o morcã… do que o Maicon. por mim, antes do final do empréstimo accionava-se a opção de compra dos seus direitos desportivos.

Reyes 

Igor Lichnovsky foi mais barato.
eu sei que posto assim, desta forma crua, é injusto para o central mexicano. e que estou a ser injusto na minha avaliação. mas também é a verdade. e as expectativas que se criaram em torno dele, então…
na minha opinião, Reyes foi demasiado caro para ser  o quarto central da equipa e por muito que (justamente) reclame minutos justos de competição… a meio da presente temporada não vislumbro qualquer hipótese de poder acrescentar, de forma relevante, os ditos cujos a não ser para a ex-taça da bjeka®. o empréstimo teria sido uma boa opção, mas como desconheço (e ainda bem!) os meandros dos bastidores e dos corredores do Dragão, também quero acreditar que Lopetegui o terá em boa conta, apesar de também haver Lichnovsky.

meio-campo

© Google

Rúben Neves 

antes de tudo e deveras importante:

¡gracías, ‘míster‘!, por sus ‘huevos‘!


sim!, que devemos a Lopetegui a aposta neste jovem talento luso, fruto da nossa formação.

o BI/CC indica que nasceu em 1997. o talento que evidencia a cada jogo que passa demonstra que o risco desta aposta arriscada só reside no receio de algumas mentes temerosas, incapazes de os ter no sítio no momento certo.
indiscutível no nosso meio-campo para a próxima época, pelo menos.

Casemiro

tem em si colado o rótulo (principal) de (pro)vir do Real Madrid e, como tal, ter que render cada cêntimo do seu empréstimo e desde o primeiro segundo.
não interessa para nada se esta é a primeira época no Clube, com as necessárias habituações a uma realidade diferente. a importância é reduzida ao mínimo acerca do experimentar uma posição nova no terreno de jogo (badalhoquices agora não, por favor, que estamos a falar sério!). não importa se ele tem 22 anos e, no Real Madrid, jogava como médio centro ofensivo. também é irrelevante que, na época passada, só tenha jogado 416 minutos e, em 2012/2013, 1260′… na segunda divisão espanhola. vem do Real Madrid? tem que comprovar que é bom!

pois eu tenho para mim que Casemiro é um jogador que tem tudo para ser um bom médio defensivo e no curto espaço de tempo. apenas tem que aprender a lidar com a impetuosidade do seu futebol a qual não se compara, por exemplo, com a de um javali garcía. e com o facto de actuar em Portugal e no FC Porto.
para os mais cépticos, recordo-vos um nome com um pedido especial: Fernando nas suas duas primeiras épocas entre nós…


Óliver Torres 

já. não. tenho. palavras. só. o. puro. deleite. de. poder. desfrutar. do. perfume. do. seu. futebol redondo

até posso sonhar com a presença dele na próxima época, mas temo pelas contrapartidas que o Atlético de Madrid imporá… e esse é um Deve & Haver que decidirá a sua permanência no Dragão.

Brahimi 

uma agradável surpresa, tendo deslumbrado com alguma “magia” à mistura no primeiro terço do campeonato.
entretanto e como o próprio já reconhece(u), os adversários passaram a fazer marcação cerrada (inclusive às suas canelas).
quando (re)aprender a jogar para a equipa, nas partidas em que tem (pelo menos) três pitbulls atrás de si, será esse o momento que marcará a sua despedida do reino do Dragão. até lá, todas(os) temos o privilégio de presenciar o seu futebol. e de nos deleitarmos com ele.

Herrera

tal como Danilo, está a demonstrar as razões da sua contratação esta época.
para mim, é evidente que melhorou bastante com a chegada de Lopetegui, sobretudo na ocupação dos espaços, nas dobras que consegue fazer ao seu colega de sector e independentemente do(s) nome(s) deste(s) e na finalização e/ou concretização e/ou remate e/ou golo(s) (alguns destes muito importantes).
apenas necessita de aprimorar a definição do passe, um capítulo onde apresenta lacunas – não só na questão do endossar o esférico ao colega, mas também no quando o deverá fazer. tendo em linha de conta que eu sou do tempo do «pass precise», penso que está tudo dito

Quintero

tem contra si um estigma: o de ser considerado o sucessor de James. 
não é e por uma razão (para mim) simples: não é extremo, nem consegue flectir para o centro como James fazia.
no meu entendimento, Quintero é um 10 purono sentido em que é um dos (poucos) criativos no plantel, capaz de inBentar lances de ruptura contra equipas que se apresentam com dois a três autocarros, de dois pisos cada... e porque é incapaz de defender, mesmo que em prol da Equipa a sua principal lacuna, no meu entendimento.


Campaña

Mikel. Tomás Podstawski. Leandro Silva. Tiago Rodrigues.
compreendo o empréstimo do espanhol para esta época, e que mais não terá sido do que a necessidade de um substituo à altura de Casemiro e/ou Ruben. e a verdade é que Campanã, no meu entendimento, tem postura, saber posicional e futebol para ser esse substituto (para além de que só sabe jogar de cabeça levantada).

mas, com aquela matéria-prima referida acima, com a perspectiva de evolução e com a avidez de minutos preciosos de competição por parte dos próprios, considero que não haverá necessidade de se prolongar o empréstimo, sequer a aquisição dos seus direitos desportivos. mas Julen Lopetegui é que sabe…

Evandro 

esforçado. cumpridor. exímio marcador de grandes penalidades.
os argumentos apresentados para Campaña poderiam servir para uma possível dispensa de Evandro; só que não casam com esse facto de ter rubricado um contrato de três épocas, pelo que há que rentabilizar o investimento.

avançados

© Google

Quaresma 

a par de Helton, é o jogador “trintão” com mais anos de casa, logo e por inerência um dos veteranos do plantel. penso que ele sabe disso e da responsabilidade que tem sobre os seus pés, ombros e demais partes do seu corpo.
porém e há sempre um mas (em RQ7 mais do que um…)  aquele seu feitiozinho de m*rd@ deixa-me fulo. e não são as suas constantes juras de amor permanente ao Clube que me vão acalmar o espírito. 
dele, espero sempre Tudo e Nada: uma trivela ao ângulo ou mais uma jogada em que foi fominha. um passe a desmarcar um companheiro na cara do golo ou um centro para a bancada. um abr@ço ao companheiro ou um amuo aquando da substituição…
como afirmou que pretende acabar a carreira no Clube, penso que a SAD dever-lhe-á fazer a Bontade… a questão é saber se o mustang terá estômago para (i) ou se adaptar a uma nova função em campo ou (ii) se sentar mais amiúde no banco de suplentes e/ou tribuna.

Cristian Tello

por vezes é mais rápido do que a própria redondinha… noutras, mais rápido do que o(s) seu(s) opositor(es), ams define mal o último momento: ou o remate fatal ou o passe letal. nada que, com o necessário e sempre tão importante tempo de competição não venha a ser corrigido.
terá mais uma época para tal. se porventura não o conseguir, considero que será tempo de regressar a La Masía. e sem ressentimentos. de parte-a-parte.

Adrián López

Clayton. Hugo Almeida. Maciel. Luís Fabiano. Rentería. Mariano González. Ernesto Farías. Iturbe. Licá.
desde 2000/2001, aqueles são alguns dos patinhos feios eleitos por alguma da (sempre mui orgulhosa) massa assoBiativa, uns (bem) mais do que (os) outros.
na presente temporada, Adrián foi o eleito, mormente pela questão do valor com que supostamente o Clube terá adquirido os seus direitos desportivos mas nada que o Danilo já não tenha sofrido na pele (e nos ouvidos) e que não lhe possa explicar…
independentemente dessas questões, no que concerne ao futebol praticado pelo dito e por muito que custe a alguns dos seus defensores e dos argumentos (legitimamente) invocados e que eu respeito (olá, Jorge!), não creio que o espanhol venha a ser o próximo licha… espero estar redondamente enganado e que, num futuro próximo, tenha que engolir esta minha afirmação, proferida convicta e conscientemente.
(para além de que, para a sua posição, na próxima época, gostaria que Lopetegui contasse e apostasse, no plantel principal, com Kayembé e Ivo Rodrigues.)

Hernâni

não possuo dados que me permitam avalizar e ajuizar, com pertinência.
mas, as minhas expectativas são altas, para o desempenho que espero dele e que aguardo que ele corresponda com o seu futebol, dentro do terreno de jogo.

Jackson Martínez

obrigado!, Jackson Martínez!”

antes de tudo, não sou ingrato.
depois, não me esquecerei do seu futebol, sobretudo dos seus golos. e que foram muitos. e para todos os gostos.
tal como me lembrarei também desse facto que, até pode parecer de somenos importância, mas que foi um elefantesinho que me vi forçado a engolir: o de lhe ter sido concedida a honra de envergar a braçadeira de Capitão depois de todas as juras de amor (in)condicional que nos presenteou, por mais do que uma vez, nas três épocas que esteve de dragão ao peito…

Aboubakar

faço votos sinceros para que seja o ponta-de-lança que dele se espera, e tendo em linha de conta o peso da responsabilidade que sob ele recairá: o de substituir, no imediato, as memórias de Jackson, Hulk, Falcao, Lisandro, Benni Mccarthy, Pena, Jardel, …

Gonçalo Paciência

mais do que Aboubakar, Gonçalo.
haja a Paciência necessária para o ver como a referência do ataque portista, se não já na próxima temporada, pelo menos a partir de 2016/2017.
tem (literalmente) o Mundo a seus pés. e a mim também.

treinador

© zerozero

mantenho o que convictamente escrevi em Maio de 2014.

para mim, Julen Lopetegui é o homem certo, no lugar certo, no clube ideal para o projectar e enquanto o nosso grande presidente assim o entender.

disse!

de um textinho bem mais fedorento "do que arroto de corvo"… [actualizado]

© google
caríssima(o),
reza o adágio pra pular® que quanto mais se (re)mexe no(s) excremento(s) mais ele(s) fede(m)…
vem este brevíssimo introito, que (reconheço) nojentemente repugna qualquer um(a) de nós, a propósito deste escrito aqui, da autoria dO leonor pinhão, publicado na edição impressa desta Quinta-feira, no pasquim da Travessa da Queimada.
o título do dito cujo (1995? o 5lb fez o que pôde e os Calheiros férias no Brasil) (e que pode ser lido aqui) mais não é do que O artista em causa a tomar as dores do «catedrático do Futebol» da pastilha elástica, pela ousadia da resposta de Julen Lopetegui a anterior provocação brejeira daquele (e obviamente que torpe e barata, pois que o masca-chiclas reconhecidamente não tem inteligência para muito mais).
não pretendo demorar-me muito neste não-assunto  uma expressão muito em voga nos tempos que correm, sobretudo para terras eborenses…
«apenas e só» refiro que:
» todos os clubes, sem excepção, têm os seus telhados de vidro, as suas frutinhas, os seus calabotes, as suas viagens à China, os seus afins;

» as épocas em causa (1994/1995 e 1995/1996), referem-se ao consulado de manuel damásio, o qual de facto era mesmo pobrezinho, pois que declarava, em sede de IRS, que ganhava o ordenado mínimo (àquela altura, 272 euros);

» a contra-argumentação dO jornalista em causa provém de alguém que se deu ao trabalho de redigir um livro em nome de outrém, cujo conteúdo foi desmentido na Justiça e por mais do que um cloectivo de juízes e em mais do que uma comarca. estes factos dizem muito da idoneidade da pessoa em apreço.

© google

adenda pertinente, às 15h17m:


«


A história em que o jogador é o vilão já todos ouviram. 
Mas, ainda é um internacional português, bem pago no FC Porto, com muito mercado e que poderia significar um encaixe financeiro bastante interessante.

»



pois eu considero que há a necessidade de se puxar todo o filme atrás:

1)

Julho de 2011
depois uma boa época, manifesta publicamente e pela primeira vez, o desejo de sair do FC Porto, afirmando que £ibras-Boas tem o seu telefone. 

2)

Março de 2012.
no seguimento de vários jogos (no mínimo) mal conseguidos a denotar má forma física e erros defensivos de palmatória, reage mal a uma substituição. 

3)

a partir daquela data, foi sempre a descer, rumo a um abismo aparentemente sem fim. 
nessa época (2011/2012) e depois daquele incidente, não mais recuperou a titularidade.
manifestou, mais uma vez e por mais do que uma vez, durante o defeso de 2012, o desejo de bazar, pela voz do seu empresário. 

resultados práticos desta atitude:

até Janeiro de 2013, 94 minutos de utilização (!)

4)

Janeiro de 2013.
foi emprestado ao Nápoles, numa oportunidade de relançar uma carreira então estagnada. teve apenas 570′ minutos de utilização. 

5)

Agosto de 2013.
é emprestado ao Inter de Milão e após época e meia de inactividade, realiza uma temporada em cheio. 

6)

Vítor Pereira nunca perdoou a Rolando o incidente do casaco, em Março de 2013. 
a administração do FC Porto secundou o seu (então) treinador. Antero Henrique também o fez. 
o jogador e sobretudo o seu empresário, nunca compreenderam, não compreendem nem compreenderão esta atitude por parte do Clube. 
Rolando pretendia prosseguir a carreira em Milão. o Inter não oferecia o que o FC Porto exigia a tal questão dos «15M€» russos… 
o Inter considerava que valeria a pena esperar um ano para obter o mesmo jogador de borla, pois que, em Janeiro de 2015, seria um jogador livre. recordemos que estávamos já em Agosto de 2014… 

foi por esta razão que Pinto da Costa, num precedente sem igual, manifestou publicamente o desejo do FC Porto contar com o jogador vide Lei Webster e o que é referido aqui

em suma e sem pretender ser (ainda mais) fastidioso:

é óbvio que quem perdeu foram todas as partes envolvidas neste negócio; a saber: FC Porto, Rolando, o seu empresário e sobretudo Mancini. 
convém é ter todo aquele passado recente em mente para se perceber o porquê da postura dClube, «penso eu de que».

disse!