e tu, atreves-te?

© Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
está à distância de um clique (aqui).

em suma:

quantos mais de nós manifestarem publicamente e junto de quem de Direito, a nossa revolta e a nossa indignação, melhor.
e mais chances haverá de a nossa denúncia poder surtir o efeito desejado.

(para além de que estaremos a contribuir directamente para levarmos o axioma que reza assim: não perguntes o que o Clube pode fazer por ti, antes mas o que podes fazer em prol do Clube ao seu expoente máximo)
disse!

"ode" aos anónimos, esses covardes…

(clicar na imagem para ampliar)
caríssima(o),
antes de tudo, considero que nada mais haverá a acrescentar àquele brilhante artigo, datado de 1958 (!!!) e (in)decentemente surripiado ao blogue de Rui Valente o também muito azul renovar o Porto (aqui).
é incrível como decorridos 57 anos desde a sua publicação, o seu teor permanece tão, mas tão realisticamente actual…
o mesmo enquadra-se, de forma perfeita, com o meu pensamento acerca, por exemplo, da moderação de comentários neste espaço de discussão pública.
mais uma vez, (re)afirmo que, aqui, neste espaço de discussão pública destinado sobretudo a portistas, não são permitidos quaisquer desvios aos seus termos de utilização. portanto e como é óbvio, sim!, há censura nomeada e mormente quando, por exemplo, se desrespeitam o bom-nome, o prestígio e a dignidade dessa instituição centenária que é o Futebol Clube do Porto e, por inerência, do seu actual Presidente, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa. referências a fruta & afins também têm como destino o arquivo geral.
por que o faço? sobretudo porque sou o legítimo proprietário deste espaço e sou eu que faço as regras que pretendo para este meu espaço. quem delas discordar, tem bom remédio, já que a porta da rua é a serventia da casa
neste espaço também não são permitidos comentários (de) anónimos.
as razões principais estão invocadas no artigo acima. e inclusive porque considero que deveremos ser responsáveis (também) por tudo o que escrevemos.
e, se é certo que há quem esteja de boa-fé e (ainda) não saiba criar um perfil, do mesmo modo há muito boa gente que cobardemente se refugia no anonimato para tecer considerandos sobre tudo e mais alguma coisa, principalmente em períodos mais negativos do quotidiano do Clube (entenda-se: sobretudo nas nossas derrotas).
eles é que são os maiores da sua rua; eles é que a sabem toda; com eles não há, nem haverá!, lugar a erros; se fossem eles a mandar (Deus nos livre e guarde!) venceríamos todos os jogos e por goleada; com eles no topo dos destinos do Clube, seríamos sempre campeões e em todas as modalidades; as suas sagacidade, argúcia, perspicácia e Qualidade de gestão, nunca seriam alvo de questões, dúvidas e comentários depreciativos… acho que dá para perceber o meu ponto de vista.
o que me causa mesmo espécie, é que estes cobardes sim! e com as letras todas: c-o-b-a-r-d-e-s são proporcionalmente inversos na sua rapidez a apontar o dedo sem ser naqueles momentos de infortúnio; aliás, basta atentar na quantidades de considerandos, nas caixas de comentários, nesse maravilhoso mundo que é a bluegosfera®, onde eles (ainda) vão sendo permitidos, quando o FC Porto vence em relação aos momentos (felizmente poucos) em que perdemos pontos…
assim sendo, aqui não, violão!
aqui, quem quiser comentar, acima de tudo, tem que respeitar as mais elementares regras da civilidade e do civismo: a Educação e o Respeito pelo Outro. são valores dos quais não abdico, nem abdicarei.
depois, tem que ter um perfil, isto é, tem que estar registado na plataforma blogger. esta última situação explica-se facilmente: é que, em caso de prevaricação contínua e sistemática, poderá ficar sem acesso à mesma. e ao e-mail a ela associado. e, em última instância, ao endereço de IP relacionado com este último (o que inviabilizará a possibilidade de criar novos endereços de e-mail a partir daquele IP).

por último e para quem quiser criar um perfil no ‘blogger, pode saber um pouco mais aqui.
acima de tudo, (i) necessita de criar uma conta de endereço electrónico (preferencialmente) no gmail e depois (ii) seguir os passos descritos aqui.

disse!

de uma crítica construtiva… [‘nortada’ incluída]

(clicar na imagem para ampliar)

caríssima(o),
começo por informar que o meu progenitor  aquele alguém «distante da vista, mas muito perto do coração» , já está melhor de Saúde, apesar de ainda estar sob (muita) vigilância médica. as perspectivas de comer o bacalhau e as batatas, em Família, são superiores às de Ontem, o que não deixam de ser (muito) boas notícias.
a quem disponibilizou cinco minutinhos do seu precioso tempo para enviar uma mensagem de apoio e de força, o meu sentido e sempre agradecido muito obrigado!. bem-hajam!
depois, reforço a ideia de ontem, com a repetição da imagem acima e do teor de uma tarja que data de Março de 2003
seria (muito) bom que aquela mensagem estivesse sempre presente nos corações dos portistas, sobretudo de quem, nestas ocasiões em que se pede um pouco (mais) de cabeça fria, explode contra tudo e contra todos, questionando as calçaso cu e os suspensórios
outros há que aproveitam estas alturas para tecer (vamos apelidá-las assim, de) críticas que, de reflexivas, só têm o fel que expelem de uma forma pior do que muitos lampiões, num assomo de um portismo que custa-me, mais do que compreender, aceitar… mas, desses (felizmente que poucos), o Futuro encarregar-se-á de lhes (com)provar o quão injustos são para quem, mesmo agora, num momento de infortúnio, ainda lhes dará alegrias. só não sei é se celebrarão os feitos desportivos que estão para vir – e estou certo que acontecerão! – com o mesmo entusiasmo do que eu… também será para o lado que dormirei melhor…
de volta à imagem acima.
não deixa de ser assaz curioso que, nos dois últimos clássicos que aconteceram no nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos, os poucos adeptos que ainda vão puxando pela equipa, evitando (muitas vezes) que aquele palco tenha mais animação do que num velório, constatando que a equipa não retribui, em campo, o seu esforço vocal, deliberadamente tenham optado pelo silêncio… mais do que escutar os incentivos vindos do sector visitante (sempre muito agradáveis de se escutar, sobretudo se não tiverem o devido contraditório então agora, que estão colocados num local onde efectiva e comprovadamente se fazem ouvir…), custa-me perceber qual é a estratégia que se pretende com… silêncio. a sério que não compreendo, mormente porque a sua existência serve exactamente para contrapor o… exacto!silêncio do público em geral.
fica feita a minha singela advertência a quem seja membro das claques organizadas e legais do nosso clube do coração, e que passe por este espaço de discussão pública, para que transmita esta crítica positiva e construtiva a quem de direito.
por último, para quem tiver esse interesse e porque hoje é Terça-feira, divulgo a última NORTADA, do nosso enfant terrible Miguel Sousa Tavares, publicada na edição impressa do pasquim da Travessa da Queimada, sob o título não jogam, mas ganham” (aqui), e com a qual concordo. em absoluto. 
disse!

desses aborrecimentos que chateiam (um bocadinho)… [actualizado com ‘recadinho’]

© Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
caríssima(o),
na noite de Segunda-feira, porque não o encontrava em lado algum, resolvi fazer um vídeo caseiro (que não desses ), com os singelos cinquenta segundos que o Porto Canal dedicou à agressão bárbara de que foi vítima o Brahimi.

demorou algum tempo a fazê-lo (estava sozinho, em casa, com o Guilherme), mas consegui! posteriormente publiquei-o, não só no meu canal dedicado no ‘youtubiu®, mas também na posta de pescada® sobre o que aconteceu em Arouca, e na página do Tomo II no “faceboKas”®.
como deverás saber, eu não luto por audiências, visualizações, likes & afins; mas confesso-te que, em menos de 24h, aquele vídeo já tinha perto de quinhentas visualizações completas…

pelos vistos, comecei a incomodar alguém, quiçá muito «glorioso» de si e na esperança (vã, claro!) de que aquela agressão, que existiu!, permaneça nesse ensurdecedor silêncio me(r)diático e como a imagem acima o confirma.

para essas autênticas bestas, a minha mensagem é a de que não será assim que me demoverão!
possuo o ficheiro original e os únicos incómodos que terei serão, não só o de processar os respectivos uploads de um ficheiro de (mais ou menos) 30MB (isto é: cerca de dez minutos do meu preciosos tempo para o fazer), mas sobretudo um canal alternativo onde não me bloqueiem o vídeo só porque sim! – pois, como afirmei na minha reclamação junto da Google, «tantos vídeos com conteúdos da SportTV, e logo o único que, à data, tinha o registo da agressão ao Brahimi é que foi denunciado. enfim… critérios editoriais…».

mas, ok! tudo bem… censurem-me o vídeo… já à agressão, ela existiu e apesar de toda essa censura me(r)diática, como se comprova:

© Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
já agora, se souberes de outros canais onde seja fácil e sobretudo seguro, disponibilizar conteúdos livremente como os que estão em causa, agradeço-te que me informes, por todas as razões e mais uma: a de denunciar casos flagrantes em que o nosso clube do coração é prejudicado por forças muito «gloriosas» de si.

e, pronto. é só isto, por agora.
obrigado! pelo tempo precioso que despendeste em ouvir este meu desabafo.

post scriptum pertinente:

agora, tenham “tomates” e censurem-me o ‘GIF‘, car@**o!!!

© Tomo II

(clicar na imagem para ampliar)

disse!

do não se "amochar" (nunca!)… [com ‘brasão abençoado’ incluído]

© google
caríssima(o),
eis uma resposta oficial (porque provém de um endereço electrónico do i) ao meu e-mail matinal, e que revela muito da estirpe de que é feito algum do jornalismo luso, com posterior recadinho para quem de direito, que eu cá não sou de ficar caladinho e de amochar, sobretudo quando tenho a mais firme convicção de que eu certo das minhas certezas e das minhas verdades.
já agora, informo-te de que:

i) 

deixo os considerandos para ti e para o que te aprouver dissertar na caixa de comentários, ali em baixo;

ii) 

dão-se alvíssaras a quem correlacionar o teor da primeira parte desta posta de pescada® com a imagem que a embeleza;

iii) 

na segunda parte desta posta de pescada®, para quem tiver interesse e para memória futura, fica o que de melhor foi publicado na edição desta Sexta-feira, no pasquim da Travessa da Queimada.

é logo a seguir ao «gosto» do faceboKas®, em «no pare, sigue, sigue» 😉

«
Bom dia. 
Trabalho no “i” e sou do FC Porto. 

Dito isto, só para lhe dizer que as idiotices que você escreve deveria guardá-las para si e para quem tem a paciência de aturar idiotas. 
Como já sei que «grande Rui» não lhe vai responder, porque não está ao seu nível, não resisti a baixar o meu e responder-lhe no seu patamar de estupidez.

Só uma sugestão: para além de mim e apenas esta vez, ninguém quer saber das suas opiniões, ninguém sabe quem é o “chato do Tomo não-sei-quê” e está-se tudo a marimbar para a sua prosa mal escrita. Sugiro que vá insultar os seus amiguinhos e aqueles cuja a ignorância é tão grande que ainda o aturam.

»


ao que se seguiu:

«

exacto, sr. Augusto.

devemos ser carneirinhos e amochar, não é?

e, não necessita de subir ao meu nível de educação, pois que o seu nível rasteiro de jornalista e a sua resposta ao meu e-mail denuncia o muito portista que o sr. é.

e o nível «de idiotice» da sua resposta é que é de pasmar, pois que nem sequer aborda a questão de o pasquim onde o sr trabalha ter ofendido o nome do treinador do FC Porto, apelidando-o de «flopetegui» e o sr não os ter tido no sítio para se insurgir contra esse facto – numa prova cabal de que, mais do que o seu portismo, estaria a defender a Deontologia da sua profissão.
mas, claro… o sr. «está-se a marimbar» para isto tudo, não é? é o sr. e o «grande Rui»

o administrador do Tomo II
Miguel Lima

»

disse!

© google

a)

obviamente que estou contente com a notícia sobre a última convocatória do ‘escrete e que considero que a inclusão do trio portista é um enorme motivo de orgulho;

b)

obviamente que, por motivos óbvios e públicos, (com)partilho das mais recentes críticas de Jackson a algum público do nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos;

c)

obviamente que subscrevo o último artigo de opinião de Pedro Marques Lopes, na sua coluna habitual BRASÃO ABENÇOADO, sob o título menos generosidade, por favor! (aqui).

d)

és grande, caríssimo doctor J.. mesmo!

o meu sentido muito obrigado!

(clicar na imagem para ampliar)

disse!