complemento directo (ao estômago)… [actualizado]

… em duas imagens sintomáticas:

© google | Tomo II
(clicar nas imagens para ampliar)
em relação a esta questão, considero que nada mais haverá a dizer; apenas que:

i)

lastimo que a resposta cabal, a este tipo de «gloriosos» ataques mesquinhos, nos últimos anos (última década?) tenha que partir (sempre!) por parte de quem menos obrigações possui na defesa intransigente dos interesses do Clube: 

a sua massa adepta

ii)

lastimo todo este ensurdecedor silêncio pela parte de quem tantas responsabilidades possui, inclusive no esclarecimento aos seus dedicados associados quietude nesse estado por parte de quem conscientemente opta por omitir e uma (tão) necessária explicação, mas cuja Razão que lhe assiste (e deverá haver, pelo menos, uma razão!) desconheço. em absoluto.

iii)

pertinente actualização às 16h20m:

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa
(clicar na imagem para ampliar)

a mesma imagem com maior resolução aqui ]

mais do que os «zurros» de um badocha que se move a Cutty Sark, e para lá da «gloriosa» demagogia de nuno perestrelo, interessa-me aquele seu post scriptum.
apenas pergunto onde é que a abécula estava aquando do assomo de fervor clubista por parte de um bandeirinha rufiola…
isso sim!, é que é grave. e com imenso prejuízo desportivo, como (também) se comprova aqui.

disse!

desse «poder de fogo» (fátuo?)…

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa
caríssima(o),
no seguimento da última posta de pescada® (aqui), eis duas imagens que a complementam (mas que não a completam):

© pasquim do ‘Quim Oliveirinha

(clicar na imagem para ampliar)

a mesma imagem com maior resolução aqui ]

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

a mesma imagem com maior resolução aqui ]
sincera e honestamente, que gostava de perceber o porquê de não haver Razão nos critérios de aplicação das Leis do Jogo quando, em termos de arbitragem nacional, todos os árbitros são unânimes [pleonasmo propositado] em afirmar que aquelas são claras e não deixam dúvidas quanto à sua interpretação…
também gostava que, um dia, quem sabe?…, alguém me explicasse das razões que subsistem actualmente para, em situações idênticas, aqueles mesmos critérios serem tão díspares na sua aplicação, sobretudo e mormente quando está em causa o «glorioso» desígnio do 5lb em se tornar campeão…
por exemplo: porque raio é que aos dois minutos, neste lance aqui, não foi assinalada grande penalidade e, no mesmo antro e na mesmíssima grande área, em Setembro de 2014(nesta época portanto), a falta sobre o lima já foi assinalada?!
tenho as minhas suposições, mas não quero acreditar que tenha sido o peso das camisolas a ditar esse tipo de leis, não quero! seria um completo adulterar da verdade desportiva, expressão tão em voga para os lados da Segunda Circular…
felizmente que, mesmo no seio lampiónico, há quem não se reveja nesta falsidade, neste forjar de uma competição que se presumia sã, neste constante e permanente atropelo da verdadeira Verdade Desportiva, numa autêntica filha-da-putice semanal, a qual não “olha” às competições em disputa.
infelizmente são muito poucos os que não se revêem neste estado de sítio em que se tornou este campeonato, desde a sua segunda jornada, como se pode constatar aqui  num texto que, aparte os considerandos sobre o “Apito Dourado” e o nosso querido líder, pelos comentários que se lhe sucederam, revela muito (mas mesmo muito) do que é ser lampião.
desconheço o que escreveria se o meu Clube do coração estivesse em situação idêntica, mormente porque, desde que me conheço para o Futebol, que não me recordo do nosso FC Porto ter sido tão escandalosamente beneficiado como o 5lb o está a ser nesta época. mas, rezam as crónicas, que este era o “pão nosso de cada dia” antes de Abril de 1974… autch!!
independentemente de tudo, não retiro uma vírgula ao que escrevi em Janeiro de 2013 (aqui) e também em Abril de 2014 (aqui) sobre o que é, para mim, o nacional-benfiquismo reinante (e, por muito que os anos passem, tão estupidamente actual).
para corroborar ainda mais as minhas mais fortes convicções, socorro-me do último escrito do intestino delgado (aqui), o qual revela o ser abjecto, repugnante e vil que é, desprovido de quaisquer escrúpulos e sem qualquer pingo de carácter mormente enquanto desempenha a função de jornalista. ele, que num passado recentíssimo, lhe tecia loas, hoje morde-lhe os calcanhares; ele, que em 2006, escrevia «Maria José Morgado entra em campo ainda a tempo, creio, numa fase particularmente sensível deste “jogo“. E, se quisermos uma analogia, até parece Eliot Ness (em “Os Intocáveis“) a chegar a Chicago. Tremei, “Capones”! » e hoje nem uma palavra sequer sobre as gravíssimas afirmações do burro do Carvalho… 
são assim, os “invertebrados” do nosso jornalixo tuga, sempre prontos a jogar as suas cartadas conforme os seus «gloriosos» interesses.
para finalizar e por forma a desanuviar o ambiente, deixo-te aqui com as mais recentes declarações de Paulo Sousa, actual treinador do Basileia. acho que são merecedoras da tua maior atenção.
disse!

deve ser por estarmos no Carnaval, certo?

© google | Tomo II
caríssima(o),
esta posta de pescada® será compridinha (por que extensa), num breve regresso à imagem de marca deste espaço de discussão pública: os testament… os textos um tanto ou quanto longos.
não pretendo tecer mais considerandos sobre a partida ante o Vitória SC. 
tudo já foi devidamente dissecado nesse maravilhoso mundo que é a bluegosfera®, e é comummente aceite que houve duas partes distintas na partida, sendo que o futebol praticado nos primeiros 45′ foi t-o-p! e que, depois do regresso das cabines, os jogadores do FC Porto pouparam-se para o importante compromisso para a Champions. por mais que Lopetegui tenha ameaçado com o sofá, houve um relaxamento com bola. para quem muito reclama desta atitude, relembro que tal já acontecia, por exemplo, com José Mourinho. e, goste-se ou não (e eu não gosto, mas compreendo. e, até certo ponto, aceito), os jogadores são seres humanos e não máquinas; e como uma (boa) partida da Liga dos Campeões, mormente nesta fase da competição, pode valer muito do seu futuro, sobretudo o profissional…
no seguimento do muito que já foi apontado noutros blogues de referência para mim, também eu não fiquei indiferente à brutalidade do lance do ex-produto-de-formação-lampiónica cafú sobre Casemiro. 
para memória futura deixo aqui a imagem GIF do lance corrido e aqui as posteriores repetições. já a seguir o que se escreveu em dois dos pasquins desportivos cá do burgo:
© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa
(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesma imagem com maior resolução aqui ]
© pasquim do ‘Quim Oliveirinha
(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesma imagem com maior resolução aqui ]
entretanto, no antro de Carnide, este Domingo, o árbitro manuel oliveira foi um castiço para os lampiões, como as imagens comprovam:
© sapo | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
lance que ocorreu na grande área do 5lb logo aos dois minutos, e que pode ser (re)visto em imagens GIF aqui (jogada corrida) e aqui (posteriores repetições), não vá o vídeo desaparecer por «gloriosas» artes mágicas…
© sapo | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
lance que ocorreu aos 39′ minutos, antecedeu o segundo golo do 5lb, e que, pleas mesmas razões atrás apontadas, pode ser (re)visto em imagens GIF aqui (jogada corrida) e aqui (posteriores repetições).
© google | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
lance que ocorreu aos 69′ minutos, que antecedeu o terceiro golo do Carnide e do qual não há vídeo disponível, à data e hora em que redijo estas linhas…
por bem menos, já vi treinadores revoltarem-se contra a equipa de arbitragem; mas, para bruno ribeiro, parece que está tudo bem, apesar dos «números exagerados», vá-se lá saber porquê…
e, vai daí, se calhar até julgo saber…
© ‘faceboKas® | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesma imagem com maior resolução aqui ]
depois disto, e disto, e disto e no seguimento do que entretanto já foi escrito aqui e aqui, também eu uno a minha voz à indignação que reina pelo universo portista por (i) ainda não se ter aberto um processo para se averiguar a veracidade daquelas gravíssimas afirmações e por (ii) o nosso Clube do coração, depois dos abjectos processos Apito Final e Apito Dourado, ainda não ter reagido oficialmente, obrigando quem de Direito a investigar e de uma forma célere.
igualmente para memória futura fica aqui registado alguma da roupa sujalavada em praça pública pelas comadres em causa, e o que está disposto no Regulamento Disciplinar da Liga (aqui).
por último, não posso deixar de recuar até Novembro de 2011, para me recordar deste incidente, muito parecido com aquele ali em cima e do que (não) foi decidido investigar: 

«

No final do jogo, cerca de cinco minutos após o seu término, o sr. Orelhas, presidente do 5lb, após sair do balneário da sua equipa – mais concretamente na designada zona técnica -, interpelou, em tom alto e exaltado, o dr. Luís Duque, administrador da spórtém SAD, que se encontrava no hall de acesso aos balneários, proferindo, pelo menos, as seguintes expressões:

“Deverias ter vergonha!”, – “Era para isto que vocês queriam controlar tudo?!”,Era para isto que queriam que a gente controlasse a arbitragem?!, – Foste tu que me disseste que tínhamos que controlar tudo!, – “Não me faças falar, não me obrigues a pôr a boca no trombone!”.

Além destas palavras, Luís Filipe Vieira também terá dito a Duque que:  

– Não tens vergonha! Chulo! Bandido! Não tens vergonha! Vai jogar à bola, vai para o c@r…o! Diz lá outra vez que eu é que domino a arbitragem! Sim, foi isto que andaste para aí a dizer: que eu dominava a arbitragem! Foste tu que disseste!

mas o Conselho de Disciplina apenas considerou as declarações que foram confirmadas por testemunhas.

»

mesmo assim, contra tudo, contra todos e contra os tolos, 

eu acredito!

disse!

‘brasão abençoado’ em Sexta-feira 13… [actualizado]

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

adenda importante e pertinente:

na eventualidade de não ser possível ler o (de facto) muito-super-extra-interessante artigo de opinião de Pedro Marques Lopes (mais um…) a partir da foto acima, fazer o favor de clicar aqui, seguindo estas indicações aqui.
desde já peço as minhas sinceras desculpas por quaisquer eventuais transtornos causados.
e, também, que não haja qualquer concordância entre o dia e a sua significância.

post scriptum pertinente (às 13h17m):

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

o (muito, extremamente) mauzinho, sr. joão (nada) bonzinho, no escrito acima, insurge-se contra Lopetegui. percebe-se bem o porquê, tendo em consideração que Julen Lopetegui já começa a perceber (melhor) onde está e como é a nossa realidade sobretudo aquela que envolve essa gritante dualidade de «gloriosos» critérios editoriais, a qual se rege pela norma de, para situações idênticas, o prejuízo nunca poderá recair nas agremiações da Segunda Circular…

só tenho «alguma pena» que o ignóbil verme que assina o escrito em causa também não fique «indiferente» à (desmedida) «arrogância» deste personagem aqui que, em Novembro último, também gozava com o mercado (virtual) de transferências…
e como ele goza. indecentemente. e com os mesmos pés-de-microfon…jornalistas. exemplos não faltam. como aqui. e aqui. e aqui. e aqui. e aqui.

entretanto, parece que já é oficial de que o clube do regime e que não é o CF ‘Os Belenenses’   vai ser isentado de taxas no valor (ridículo) de tão-somente 1.8 milhões de euros e pois que foi publicado no pasquim editado pelo sinhôre serpa (aqui).

para finalizar, no mesmo pasquim e na edição desta Sexta-feira, recomendo a leitura deste artigo sobre Roonie O’Sullivan (aqui) e obviamente deste artigo aqui, com o respectivo vídeo aqui.

disse!

e ainda ‘falam’ do Olival?!

(clicar na imagem para ampliar)

para memória futura

(não vá acontecer como com o «glorioso» desaparecimento da página das escutas ao ‘orelhas, no mesmo jornal)

«

António Costa referiu-se ao museu Cosme Damião, inaugurado em 2013, como «um equipamento cultural de referência para a cidade».

por Vítor Cid



Inaugurado, em meados de 2013, numa cerimónia que contou com a presença do Ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares e do presidente da Câmara de Lisboa – que se referiu a ele como «um equipamento cultural de referência da cidade» -, o “Museu 5lb | Cosme Damião” está em situação ilegal. O mesmo acontece com vários outros equipamentos existentes no complexo do Estádio da Luz, incluindo espaços comerciais, piscinas e um pavilhão. Em causa está o facto dessas construções não cumprirem com aquilo que estava estabelecido no alvará de loteamento que foi emitido pela Câmara Municipal de Lisboa, em 2004. 
A «alteração da licença de operação de loteamento», que vai permitir a regularização desta situação, só foi aprovada em reunião camarária esta Quarta-feira, dia 11 de Fevereiro de 2015, com a oposição do PCP e os votos favoráveis dos restantes eleitos.

De acordo com informações constantes deste processo, estão em situação irregular dois espaços comerciais, um equipamento desportivo, um balneário e duas bilheteiras, bem como o edifício principal (com uma superfície de pavimento superior a 18 mil m²) – o qual alberga o museu, as piscinas e um pavilhão. O Estádio da Luz é a excepção, sendo a única construção que se encontra licenciada.   

O Museu que foi distinguido com o “Prémio Museu Português 2014”, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia , abriu as portas em Julho de 2013. 
Na altura, segundo se diz numa notícia publicada no site da autarquia, António Costa agradeceu ao 5lb o que considerou ser «uma dádiva à cidade» e realçou «o trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal no âmbito dos Planos Directores Municipais e nos Planos de Pormenor», para «permitir que este museu aqui esteja».    
Certo é que, só em Abril de 2014, é que a 5lb Estádio – proprietária do lote em questão , submeteu ao município de Lisboa o necessário «pedido de alteração da licença da operação de loteamento». Com ele, para além da regularização das construções já mencionadas, aquela entidade pretendia obter “luz verde” do município para fazer um dos edifícios existentes crescer dois pisos e acrescentar um piso a um balneário. Tudo somado, está em causa um aumento da superfície de pavimento de mais de 38 mil m²

«Como é que é possível que se tenha construído aqueles edifícios sem qualquer licenciamento e que a câmara o tenha permitido?», pergunta o vereador Carlos Moura, sublinhando que «as obras não foram feitas secretamente e anos depois apresenta-se uma proposta de resolução, que além disso permite aumentar a construção», condena o autarca comunista, lembrando que «esta questão atravessou várias gestões camarárias».

E as críticas não ficam por aqui, já que a proposta, aprovada esta Quarta-feira, prevê também «a submissão à Assembleia Municipal de Lisboa da aceitação da isenção do pagamento da taxa TRIU [Taxa pela realização, manutenção e Reforço de Infraestruturas Urbanísticas] e da compensação urbanística (…) respeitante unicamente ao uso de equipamento e serviços complementares à actividade desportiva, que corresponde a 95% da superfície de pavimento». 
A oposição a esta proposta que, segundo disseram ao PÚBLICO vários eleitos, envolve um montante de cerca de 1,8 milhões de euros, foi alargada: PSD, PCP, CDS e a vereadora Paula Marques (dos Cidadãos por Lisboa) votaram contra, e o vereador João Afonso (do mesmo movimento) absteve-se.  

«É completamente inaceitável, diz Carlos Moura. 
«Os portugueses e os lisboetas, não conseguem já aceitar este tipo de tratamento diferenciado», afirma, por sua vez, o vereador social-democrata, António Prôa, que não hesita em falar num «tratamento de favor” ao 5lb»
Também o vereador centrista, João Gonçalves Pereira, mostra-se contra uma isenção de taxas a esse clube, sublinhando que teria a mesma posição para qualquer outro.
Já Paula Marques explica que votou contra por entender que «não é correcto isentar do pagamento de taxas um clube de futebol, entidade que não é uma associação sem fins lucrativos, especialmente na situação em que estamos a viver, na situação que o país está a atravessar».

Tanto a vereadora dos Cidadãos por Lisboa, eleita na lista do PS, como António Prôa e João Gonçalves Pereira frisam que a sua posição poderia ter sido outra se a isenção se aplicasse exclusivamente a equipamentos para a prática desportiva.

[]

»

estou curioso para saber qual será a opinião dO leonor pinhão sobre este assunto (ou será «não-assunto»?), depois da forma como botou faladura, em Maio de 2014
disse!