shaving Barnes’ privates


caríssima(o),

a notícia (verídica) que se segue vem dar razão à sogra da minha esposa, quando afirma que «está tudo doido que não se aguenta, mas’é
tens razão, Mãe! tens toda a razão! 😉
antes da dita, um agradecimento especial à Mónica R., que me alertou para o teor (lascivo) do texto que se segue, despertando, assim, a minha curiosidade e a sua posterior publicação para memória futura.
e agora, inspirado pela notícia em causa, com licença que vou ali cortar a barba e volto já! é só numa ida a Braga, nada de especial. 😉

Mulher depila zona púbica ao volante e causa acidente

Introdução: 

Megan Mariah Barnes depilou as suas partes íntimas enquanto conduzia o seu carro e acabou por provocar um acidente de viação, causando quatro feridos ligeiros. O insólito acontecimento aconteceu no estado americano da Flórida. A norte-americana, de 37 anos, poderá incorrer numa pena até um ano de prisão. 
Uma mulher foi detida, esta semana, em Cudjoe Key, [no condado de Monroe, numa zona conhecida como Florida Keys], no estado da Flórida, após ter provocado um acidente de viação enquanto se depilava dentro do carro. Até aqui, é uma história (in)vulgar.
O insólito é que Megan Mariah Barnes não interrompeu a condução para depilar a zona púbica. 
Mais: pedira ao ex-marido para segurar com uma mão o volante enquanto ela se embelezava para um encontro com o actual namorado. 
Pior: no calor do trânsito intenso que se fazia sentir, carregou inadvertidamente no acelerador ao invés do travão, provocando um acidente do qual resultaram quatro feridos ligeiros – o condutor [David Schoff], a sua esposa e um casal amigo.
Após o carro que “conduzia” [um Ford Thunderbird, de 1995] embater numa carrinha pick up Chevrolet, que seguia à sua frente e apesar de estar ferida, Megan Barnes prosseguiu com a sua marcha e, 3 (três) quilómetros depois, teve a brilhante ideia de mudar de lugar com o ex-marido, Charles Judy, para fingir que era ele quem estava a conduzir.
O álibi não resultou: as lesões leves no peito da mulher provaram que era Megan quem conduziu a viatura – e não Judy, como pretendia fazer crer – porque foi ela que se encontrou em frente ao único airbag que se abriu por ocasião do acidente. 
Gary Dunick, o polícia que a apanhou em flagrante delito, não queria acreditar.
Segundo declarou ao site KEYSNEWS, foi a cena mais impressionante que já a viu desde que, há dez anos, parou outro condutor, exactamente no mesmo local, com quatro seringas penduradas no braço. Naquela altura, considerou que nada poderia bater a cena «surreal» da seringas, até ter mandado parar Megan Barnes.
Segundo a mesma fonte de imprensa dos EUA, não era suposto que a «inimiga pública» estivesse a conduzir – dado que ficou com a carta de condução apreendida, na véspera do insólito caso, por causa de outro acidente que causou -, assim como o seu Ford Thunderbird  não era suposto estar em circulação – dado que não tinha seguro. 
Megan Mariah Barnes incorre numa pena até um ano de prisão por condução com uma licença revogada, condução imprudente – agravada pelo delito de abandonar a cena de um acidente com feridos – e condução sem seguro.

in expresso.pt

beijinhos e abraços (depilados)!

MUITO OBRIGADO! pela tua visita 😉
Anúncios

choque frontal

caríssima(o),

ao consultar o e-mail, fui “alertado” pelo doctor J. para uma situação insólita e cuja imagem (não) embeleza este post.

o que realmente retive foi o seu comentário:

«
será uma águia da polícia, treinada para detectar pó branco?
»
touché!, mon frère!
mesmo na mouche!

beijinhos e abraços (agressivos)!
e MUITO OBRIGADO! pela tua visita 😉
sugestão musical:

jackpot!

«
Uma condutora [loira…] provocou uma confusão, ontem [2001-07-28], no Mónaco, junto ao Place du Casino, quando bateu com o seu Bentley Azure em cinco automóveis (!!).
A notícia não teria interesse se os cinco veículos afectados não fossem todos de luxo.

O seu Bentley Azure, no valor de 285 mil euros, riscou um Mercedes Class S (avaliado em €85 mil) e chocou de frente com um Ferrari f430 preto (de não menos do que €163 mil). Um Aston Martin Rapide (de €171 mil) e um Porsche 911 (€91 mil) não conseguiram parar a tempo e embateram no Bentley.
O acidente não foi aparatoso, mas os prejuízos devem ascender aos 45 mil euros, sobretudo em pára-choques novos.

Para além da condutora, mais duas esculturais mulheres ficaram presas dentro do Bentley Azure descapotável, tendo sido rapidamente rodeadas por turistas, curiosos com tal “ajuntamento” de carros de marcas de luxo – um evento que até no Mónaco não deve ocorrer muitas vezes.

»
fonte: sábado.pt
ps: os negritos, itálicos e sublinhados são da minha responsabilidade.
beijinhos e abraços (cuidadosos)!

e Muito Obrigado! pela tua visita 🙂

sugestão musical:
Garbage, «driving lesson»

descartável

 © Google
«
2011-07-12
Catherine Kieu Becker terá envenenado o seu marido, com algo que pôs na comida ou na bebida.
O homem, de 51 anos de idade, «acordou amarrado à cama e com a mulher a cortar-lhe o pénis com uma faca. Depois, ela atirou a genitália para o lixo e ligou o triturador», contou o tenente Jeff Nightengale, da polícia de Garden Grove, na Califórnia (Estados Unidos da América).

A mulher ligou para o 911 – o nr. de emergência norte-americano equivalente ao europeu 112 -, a pedir assistência médica. Quando os bombeiros e a polícia chegaram ao local, encontraram o homem «a sangrar abundantemente», contou Jeff Nightengale.
«Ele mereceu», terá dito a mulher. A polícia desconhece os motivos que levaram ao crime mas, segundo Nightengale, o casal está em processo de divórcio. Catherine Kieu Becker foi acusada de vários crimes, incluindo violência conjugal, envenenamento com intenção de cometer um crime, ataque com arma mortal e sequestro. Está detida na prisão de Orange County, na Califórnia.

O homem, cuja identidade não foi revelada, por ter sido colocado no programa de apoio a vítimas de violência doméstica, está internado no Hospital Universitário Irvine, igualmente na Califórina.
«Está em condição estável, mas não temos detalhes da operação. A polícia ainda conseguiu recuperar partes do pénis…», disse o tenente da polícia de Garden Grove, não sendo claro sobre o que os médicos poderão “devolver” cirurgicamente [do pénis] à vítima.

O caso lembra o de Lorena Bobbit, ocorrido em 1993, que cortou o pénis do marido com uma faca, num quadro de um relacionamento instável. Os médicos conseguiram reconstituir cirurgicamente o pénis do homem, John Wayne Bobbit, que até chegou depois a protagonizar um filme pornográfico.

»
     fonte: jn.pt

     ps: os negritos são da minha responsabilidade.