da ‘nortada’ («gloriosa») em dia de Carnaval… [actualizado]

© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa

(clicar na imagem para ampliar)

a mesma imagem com maior resolução aqui ]
caríssima(o),

perante o ensurdecedor silêncio da Direcção do FC Porto e da SAD portista, tenho a ressalvar que, ontem, no 90 minutos à Porto, Bernardino Barros foi a voz de todos nós (vídeo aqui).
aos microfones do Porto Canal, esteve absolutamente irrepreensível. foi simplesmente fantástico, sem papas na língua e chamando os bois pelos seus nomes (vídeo aqui).

pena que, nos últimos dias, perante tanta informação com um teor (no mínimo) gravíssimo, a Direcção do Clube/SAD continue calada, numa estratégia cujo fito ainda não descortinei.
assim se justifica a seguinte mensagem para quem de direito, enviada via faceboKas®:

«

bom dia, dr. Rui Cerqueira.

no decurso deste ensurdecedor silêncio comunicacional da SAD, eis uma leitura que considero deveras interessante (aqui).

sincera e honestamente, tenho pena que tenham que ser bloggers a fazer um trabalho (de desmascarar certas verdades desportivas) que deveria competir, em primeiro lugar e acima de tudo, ao Clube/SAD…

abr@ço
Miguel Lima | Tomo II

»

por último e enquanto não chega o dia de Amanhã (que se espera que «cante» sorridente), eis mais um exemplo (aqui) de um autêntico crápula do jornalixo tuga, contemporâneo de outros anti-portistas básicos (por que primários), com rui cartaxana e alfredo farinha à cabeça. e mais um exemplo de como se consegue branquear aquela verdade (muito pouco) desportiva (por que incómoda) proferida pelo (até então mui adorado e venerado) burro do Carvalho.

post scriptum:

num outro diapasão, digamos que (bem) mais azul, interessantíssimo artigo sobre Basileia (aqui), da autoria de António Simões e que não vem publicado no pasquim da Travessa da Queimada.

e, já agora, uma notícia ‘fresquinha, à atenção da SAD.

por mim, seria sempre bem-vindo!

disse!
Anúncios

deve ser por estarmos no Carnaval, certo?

© google | Tomo II
caríssima(o),
esta posta de pescada® será compridinha (por que extensa), num breve regresso à imagem de marca deste espaço de discussão pública: os testament… os textos um tanto ou quanto longos.
não pretendo tecer mais considerandos sobre a partida ante o Vitória SC. 
tudo já foi devidamente dissecado nesse maravilhoso mundo que é a bluegosfera®, e é comummente aceite que houve duas partes distintas na partida, sendo que o futebol praticado nos primeiros 45′ foi t-o-p! e que, depois do regresso das cabines, os jogadores do FC Porto pouparam-se para o importante compromisso para a Champions. por mais que Lopetegui tenha ameaçado com o sofá, houve um relaxamento com bola. para quem muito reclama desta atitude, relembro que tal já acontecia, por exemplo, com José Mourinho. e, goste-se ou não (e eu não gosto, mas compreendo. e, até certo ponto, aceito), os jogadores são seres humanos e não máquinas; e como uma (boa) partida da Liga dos Campeões, mormente nesta fase da competição, pode valer muito do seu futuro, sobretudo o profissional…
no seguimento do muito que já foi apontado noutros blogues de referência para mim, também eu não fiquei indiferente à brutalidade do lance do ex-produto-de-formação-lampiónica cafú sobre Casemiro. 
para memória futura deixo aqui a imagem GIF do lance corrido e aqui as posteriores repetições. já a seguir o que se escreveu em dois dos pasquins desportivos cá do burgo:
© pasquim do ‘sinhôre‘ serpa
(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesma imagem com maior resolução aqui ]
© pasquim do ‘Quim Oliveirinha
(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesma imagem com maior resolução aqui ]
entretanto, no antro de Carnide, este Domingo, o árbitro manuel oliveira foi um castiço para os lampiões, como as imagens comprovam:
© sapo | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
lance que ocorreu na grande área do 5lb logo aos dois minutos, e que pode ser (re)visto em imagens GIF aqui (jogada corrida) e aqui (posteriores repetições), não vá o vídeo desaparecer por «gloriosas» artes mágicas…
© sapo | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
lance que ocorreu aos 39′ minutos, antecedeu o segundo golo do 5lb, e que, pleas mesmas razões atrás apontadas, pode ser (re)visto em imagens GIF aqui (jogada corrida) e aqui (posteriores repetições).
© google | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)
lance que ocorreu aos 69′ minutos, que antecedeu o terceiro golo do Carnide e do qual não há vídeo disponível, à data e hora em que redijo estas linhas…
por bem menos, já vi treinadores revoltarem-se contra a equipa de arbitragem; mas, para bruno ribeiro, parece que está tudo bem, apesar dos «números exagerados», vá-se lá saber porquê…
e, vai daí, se calhar até julgo saber…
© ‘faceboKas® | Tomo II
(clicar na imagem para ampliar)

[ a mesma imagem com maior resolução aqui ]
depois disto, e disto, e disto e no seguimento do que entretanto já foi escrito aqui e aqui, também eu uno a minha voz à indignação que reina pelo universo portista por (i) ainda não se ter aberto um processo para se averiguar a veracidade daquelas gravíssimas afirmações e por (ii) o nosso Clube do coração, depois dos abjectos processos Apito Final e Apito Dourado, ainda não ter reagido oficialmente, obrigando quem de Direito a investigar e de uma forma célere.
igualmente para memória futura fica aqui registado alguma da roupa sujalavada em praça pública pelas comadres em causa, e o que está disposto no Regulamento Disciplinar da Liga (aqui).
por último, não posso deixar de recuar até Novembro de 2011, para me recordar deste incidente, muito parecido com aquele ali em cima e do que (não) foi decidido investigar: 

«

No final do jogo, cerca de cinco minutos após o seu término, o sr. Orelhas, presidente do 5lb, após sair do balneário da sua equipa – mais concretamente na designada zona técnica -, interpelou, em tom alto e exaltado, o dr. Luís Duque, administrador da spórtém SAD, que se encontrava no hall de acesso aos balneários, proferindo, pelo menos, as seguintes expressões:

“Deverias ter vergonha!”, – “Era para isto que vocês queriam controlar tudo?!”,Era para isto que queriam que a gente controlasse a arbitragem?!, – Foste tu que me disseste que tínhamos que controlar tudo!, – “Não me faças falar, não me obrigues a pôr a boca no trombone!”.

Além destas palavras, Luís Filipe Vieira também terá dito a Duque que:  

– Não tens vergonha! Chulo! Bandido! Não tens vergonha! Vai jogar à bola, vai para o c@r…o! Diz lá outra vez que eu é que domino a arbitragem! Sim, foi isto que andaste para aí a dizer: que eu dominava a arbitragem! Foste tu que disseste!

mas o Conselho de Disciplina apenas considerou as declarações que foram confirmadas por testemunhas.

»

mesmo assim, contra tudo, contra todos e contra os tolos, 

eu acredito!

disse!

notas soltas de um jogo sem "paços" (em falso)… [editado]

© fotos da curva

caríssima(o),

eis o que retive do encontro desta noite, ante o Paços de Ferreira:

1)

assim, sim!, dá gosto: a suar a camisola desde o primeiro segundo da partida até ao último minuto do período de descontos, com muita intensidade de jogo, uma forte pressão logo na saída para o contra-ataque pacense, muita dinâmica no meio-campo, qualidade nos passes, segurança nas marcações, fortes concentração e atitude, e uma eficácia letal na frente de ataque.

ao invés do último jogo para o campeonato, de má memória, entrámos com vontade de sermos nós a fazer pela vida e a procurar o sossego, o descanso e a tranquilidade quando tudo já estivesse decidido, e não à espera de um erro adversário, que poderia não chegar.
é certo que esta(va)mos pressionados pelas vitórias dos outros, os que ainda lideram este campeonato viciado, e daqueles que estão a um ponto de nós. felizmente que protagonizámos uma exibição de encher o olho, tendo sido competentes (mais do que) o suficiente para podermos encarar a próxima jornada com legítimas expectativas de que algo mude na classificação e em nosso benefício. ia escrever em nosso favor, mas essa é uma expressão que, esta época, é extremamente «gloriosa» para mim…

2)

toda a equipa esteve soberba, no meu entendimento, mesmo Casemiro (sobretudo no preenchimento de espaços e no entendimento com Herrera).
no entanto, quero realçar o desempenho do RQ7: aquela ‘trivela (perpetuada em imagem GIF aqui e aqui)U-A-U!!! foi o momento da partida e o motivo pelo qual, quem pagou pagou bilhete, não o deverá ter considero mal empregue. foi indelével e indesmentivelmente um momento para mais tarde recordar®.
por outro lado, tenho a certeza (quase) absoluta que, se ainda estivesse em campo, Tello não teria marcado este míssil (igualmente perpetuado em imagem GIF aqui e aqui), num golaço mais do que merecido para quem tanto o tem procurado.

3)

a convocatória de Lopetegui, para este encontro, deu bastante falatório (aqui e aqui), com o inerente aproveitamento me(r)diático (aqui) e pronta resposta do treinador (aqui).

é certo que Gonçalo Paciência rubricou uma exibição segura e cheia de “raça”, pela equipa B. mas, também é correcto afirmar-se que, pelo que a equipa A produziu, bem que ele merecia ter sido convocado, ao invés e/ou junto de Aboubakar (que nem o rabinho levantou do banco, para aquecer).
compreendo que Lopetegui não queira facilitar e sei bem que é ele o timoneiro desta nau. mas não poderia deixar de escrever este meu reparo e/ou lamento.

4)

Sérgio “trinta milhões” Oliveira protagonizou uma exibição consonante com o desempenho da equipa onde (ainda) alinha. mesmo assim, teve três ou quatro momentos muito bons – sobretudo numas coxinhas (julgo que) a Tello, ao findar da primeira parte.
no entanto, o que me apraz registar é que, depois de Tozé, eis mais um exemplo de um jogador portista de coração, que esteve na formação do Clube e que não se coibiu de ser profissional. o mesmo não se pode afirmar de outros, com influências em jogadores que efectiva e comprovadamente não são seus activos

5)

para quem, como eu, também esteve com atenção ao (pouco, pouquíssimo) futebol praticado pelo Paços de Ferreira, certamente que terá tido (mais do que) um flashback a um Passado recente e de extrema má memória. é que os erros então apontados, por muitas(os) de nós, agora trajam de amarelo canário (e sem bonezinho)…

disse!

de, no FC Porto, não haver tempo para se ter Tempo…

«

[]


Há algumas coisas invisíveis, neste FC Porto, que são muito positivas e que mostram claramente dedo de treinador; uma delas é a qualidade de recepção e a qualidade de passe (seja curto ou seja longo)! 
É impressionante o salto qualitativo relativamente à época anterior! Nesta, a bola deixou de ter picos, os passes são genericamente bem feitos, as recepções raramente mal feitas, e tudo isto junto dá-nos tranquilidade para termos a bola.

Isto é trabalho de treinador.
Falamos de um treinador habituado a receber jovens com 16, 17 ou 18 anos, em Espanha e a transformá-los para poderem progredir no sistema das selecções principais. 
Falamos de um treinador habituado a ver erros técnicos (isto sim!, é que é técnica, que esta não é fazer fintas bonitas [para a maralha]) e a corrigi-los, fruto de anos a aperfeiçoar metodologias de treino, para melhorar (também) esses aspectos.

Desafio-vos a rever o jogo de Quarta-feira, ou a estarem atentos aos próximos jogos. 
As diferenças são abismais, ainda para mais numa equipa que joga debaixo de uma pressão tremenda de não poder perder qualquer ponto. Notável!

Deixem o homem trabalhar durante o seu contrato, mas mantendo exigências desportivas, como é óbvio. 
No fim estaremos agradecidos com o incremento qualitativo do nosso futebol!

29 de Janeiro de 2015, às 11h26m



[]


Acho que qualquer portista sabe que, fruto de várias circunstâncias, o onze base desta época é substancialmente diferente do da época anterior.

O onze base que fez a primeira metade da época passada e que foi treinado para isso na pré-época, incluía jogadores como Helton, Danilo, Otamendi, Mangala, Alex Sandro, Fernando, Defour ou Lucho (raramente os dois), Herrera, Josué, Varela e Jackson. Foi assim que preparámos aquela mal-fadada época, foi assim que a iniciámos. 
Do onze base desta época [ou melhor: o que tem sido consolidado nos últimos jogos], temos Fabiano, Maicon, Indi, Casemiro, Óliver, Tello e Brahimi (e tendo como referência os jogos pré-CAN). São sete jogadores diferentes. Repito: sete.

Os sete que não estão no onze base tinham uma média de idades (na altura) de 27,1 anos. Se incluirmos o Defour, a média sobe para 28. 
Os sete que entretanto os substituíram têm média de idades de 23.3 anos, à data de hoje. E não vale a pena falar na diferença de Qualidade, porque entraremos num domínio demasiado subjectivo…

Ninguém minimamente ponderado e intelectualmente honesto, pode exigir e sem qualquer desculpa, que os resultados sejam imediatos. 
Obviamente que queremos (todos!) ganhar; queremos empenho máximo; queremos títulos. Mas não podemos ignorar a transformação nem desatar a pedir cabeças a cada seis meses…

[É certo que não temos de ser uns carneiros], daqueles que só dizem bem de tudo. 
Ainda no meu comentário anterior fiz apreciações a algumas escolhas de ontem com as quais não concordei. Mas isso não implica que desatemos a “disparar em todas as direcções, como tantas vezes vemos, lemos, ouvimos…

Eu vejo muito trabalho nesta equipa. 
Vejo qualidade técnica, como já referi; vejo processos técnicos e tácticos, e que são a essência do futebol em competições de longa duração; e sobretudo vejo uma ideia. 
Mas também vejo um FC Porto que muda sete ou oito jogadores entre campeonato e Taça da Liga, e mantém a mesma estrutura de jogo; vejo jogadores a entrar na equipa nesses jogos para a Taça da Liga, e agora em Janeiro, e a mostrar que não temos de ter receio de algum titular poder estar castigado, porque quem está a entrar agora cumpre na perfeição o que está destinado [à  sua posição, no terreno de jogo].

Como afirmei num comentário anterior, acredito que vamos fazer uma segunda volta muito forte.
Obviamente que seis-pontos-seis continuam a ser uma distância muito grande, e que qualquer pequeno factor pode acabar [com qualquer réstia de esperança]. Mas, mesmo assim continuo a acreditar que poderemos encostar e criar dúvida, para fazer do jogo na luz (mais do que) uma final. 

E estou mesmo convencido que chegaremos a esse jogo em condições de passar para a frente.
Fica escrito, que é para depois não se dizer ah e tal!, eu sempre disse que isto ia correr bem/mal(escolher a opção depois de ver o que aconteceu).

29 de Janeiro de 2015, às 14h29m

»

caríssima(o),

aqueles são dois comentários do caríssimo magro vai ao ataque, no dragão até à morte e com os quais estou plenamente de acordo, subscrevendo-os na íntegra.

as ideias-chave estão lá e, no  meu entendimento, nada haverá a apontar por serem demasiado evidentes.

infelizmente, no nosso Clube do coração, no Presente, não se consegue arranjar tempo para se dar tempo ao Tempo, e por forma a que se colham os tão ansiosos frutos (igualmente desportivos) no Futuro, mesmo o mais próximo. a pressão (obrigação?) de Vencer e em todas as partidas que se disputem, assim o impõe pressão essa que também constrange os adeptos, mormente a nossa massa assoBiativa, impelindo-a a exigir este mundo e o outro sobretudo (e quase exclusivamente) nos momentos de derrota. e, já agora, a ser intolerante e extremamente crítica, batendo em tudo o que mexe igualmente quando surgem fracassos.
já agora e em jeito de adenda ao que foi dito pelo magro:

Rúben Neves. Ivo Rodrigues. Gonçalo Paciência. Ricardo Pereira.

quatro-nomes-quatro de jogadores portugueses, na sua maioria formados no Clube.
não me recordo, num Passado recente, de um treinador principal ter feito semelhante aposta e com consistência, na Formação. na nossa formação.
só por este exemplo, considero que Lopetegui foi bem-vindo! mas eu sou suspeito, pois que desde o início que o defendo, mais do que o criticar por dá cá aquela palha (inclusive e mormente a da perspectiva resultadista) pois que é o treinador do meu Clube e escolhido por alguém que tem mais anos de experiência no Futebol do que eu de vida. e porque eu sou adepto indefectível do Futebol Clube do Porto e não do FC [escolher nome de treinador e/ou jogador]

post scriptum pertinente:

esta posta de pescada® estava agendada para as 10h de amanhã, Sábado.

só que, entretanto e porque como não me canso de o (re)afirmar, é mesmo muito complicado escrever depois do caríssimo Vila Pouca…

assim sendo, esta posta® serve de complemento a esta aqui (e vice-versa).
e, já após ter escrito este ps, a estrouta aqui, da autoria do caríssimo Jorge Vassalo
(percebe-se que é mesmo um tema pertinentíssimo e extremamente actual, motivos mais do que suficientes para ter antecipado a publicação que estava agendada… faço votos para que seja do teu agrado!)

disse!

do se (re)pensar "com os cotovelos"… [actualizado]

© google
caríssima(o),
serei breve, ciso, conciso, preciso, telegráfico e porventura insolente (mas, neste último caso, só para com alguns de vós).
» não pretendo desdizer o que afirmei aqui, em Fevereiro de 2012
» continuo a considerar, como afirmei aqui, em Janeiro de 2014, que essa será a melhor forma de se apoiar incondicionalmente a nossa equipa do coração, agindo de forma pro-activa e em prol do Clube, não esperando que seja este a fazer algo por nós.
» tal como afirmei aqui, em Outubro de 2014, não entendo e dificilmente compreenderei, a nossa massa assoBiativa, sequer este tipo de cantilenas (aqui), como referi em Fevereiro de 2013.
» Julen Lopetegui rubricou um contrato de «três épocas»
o actual plantel tem mais de uma dezena de caras novas e uma média de idades das mais jovens do campeonato.
Helton (10), Maicon (06) e Quaresma (06) são os únicos jogadores com mais de 05 (cinco) épocas no FC Porto.
» na jornada 17, da presente temporada, estávamos em 2º lugar no campeonato, a 06 pontos do líder (12Vitórias, 04Empates, 01Derrotas, com 42-09 em golos). 
entretanto, realizámos a segunda melhor fase de grupos da Champions, com 14 pontos em 18 possíveis* e passámos aos oitavos da competição.
por esta altura (jornada 17)na época transacta e de muito má memória para todas(os) nós, estávamos em 3º lugar no campeonato, a 04 pontos do líder (11V03E03D, com 32-12 em golos). 
entretanto, realizámos a pior fase de grupos da Champions, com uns singelos 05 pontos em 18 possíveis (e praticávamos um futebol de m*rd@, que não melhoraria com Luís Castro).
por esta altura (mesma jornada)em 2012/2013, estávamos em 1º lugar no campeonato, ex aequo com a agremiação de Carnide (14V e 03E, com 44-08 em golos) e já com uns modestos 14 pontos para o 3º classificado, o Paços de Ferreira de preocupações Fonseca“. 
entretanto, tínhamos passado aos oitavos da Champions, com 13 pontos em 18 possíveis
por esta altura (mesma jornada)em 2011/2012, estávamos em 2º lugar no campeonato, a 05 pontos do líder (12V04E01D, com 38-12 em golos). 
entretanto, realizámos uma das piores fases de grupos da Champions, com uns míseros 08 pontos em 18 possíveis (e a praticar um futebol de m*rd@)

* muito obrigado! pelo pertinente reparo, João 😀

» refiro todos os factos atrás descritos para desdizer muitos dos comentários que li aqui. e aqui. e aqui  e aqui. e aqui. e obviamente aqui.
é certo que ontem foi mau demais, mas não sou dos que partem a loiça toda só nestas alturas, nas dos resultados negativos. e não!, não escamoteio que, de facto, ontem, foi muito mau e que houve erros de palmatória cometidos (i) pela equipa técnica e (ii) (sobretudo) pelos jogadores.
agora, prefiro marcar presença em todas as alturas, mormente nas mais difíceis e naquela forma pro-activa e em prol do Clube, e não ou só nas festas ou só nas derrotas.
portanto, a todas(os) quantos se assumiram como autênticas(os) luminárias  (mas só às Segundas-feiras, não sei se me faço entender…), e porque enveredaram por um caminho de verdadeiro escárnio, mal-dizer e menosprezo do que já se alcançou esta época desportiva (e que não foi assim tão pouco), legitimamente pergunto:

mas onde é que vocês se encontravam pelas 22h50m, da passada Quarta-feira?

felizmente que não estou sozinho na partilha deste tipo de portismo como se comprova (à data e hora destas linhas) aqui e aqui.

post scriptum pertinente:

» não sou o dono da Verdade (longe disso!), nem pretendo sê-lo.
«apenas e só» partilhei à saciedade a minha forma de se poder (con)viver com o emocionalmente conturbadíssimo momento desportivo actual do nosso clube do coração.
quem interpretar as linhas acima somente da forma descrita no primeiro parágrafo, para lá de estar redondamente enganado, não atingiu o propósito primeiro e único desta posta de pescada®: uma tentativa (utópica?) de se mudar certo tipo de mentalidade (mesquinha? tacanha? pequenina? «exigente»?) que se (pres)sente no seio de alguma massa adepta do Clube.

» com as linhas acima, não pretendi ofender, nem insultar ninguém em especial e/ou na generalidade sequer de uma forma particularmente individualizada.
mas porque sabia que iria ser cáustico, assim se justifica a advertência inicial:

«serei breve, ciso, conciso, preciso, telegráfico e porventura insolente (mas, neste último caso, só para com alguns de vós).»

» (re)afirmo que o meu portismo é maior e/ou melhor do que o teu e/ou dos demais portistas que visitam este espaço por Bem.
esta posta de pescada® serviu «apenas e só» para expor o meu ponto de vista e nada mais do que isso.
e, em complemento a tudo o que já foi dito, acrescento com o que afirmei aqui:

«

meus caros, no meu entendimento deveremos manter a calma. 

peço-vos para fazerem um exercício de memória e recuarem ao início do presente séc. XXI.  

nessa altura estivemos três-anos-três sem vencermos fosse o que fosse. três-longos-anos-três de seca (nem imagino os dezanove…). recordam-se do que foi dito, escrito, falado, comentado e numa altura em que não havia tanta(s) rede(s) social(ais)? era algo muito parecido com estes tempos de agora. escusado será dizer o que aconteceu desde então.  

dê-mos tempo ao Tempo; certamente que voltaremos a ser felizes. 

eu acredito!

»

disse!